Pedofilia Nao
Conto Erotico | Livro erótico Contos para ler a 2
Imagens Eróticas
Conto eróticos com SexExtima
Vídeos
Primeiro Concurso Literário do História Erótica

COMENDO O BUNDÃO DA DONA NEUZA

Olá pessoal vamos aos fatos desta semana. Na minha rua tem um barzinho até bem frequentado não sou muito de ficar parando em bar só quando preciso de alguma coisa aí vou lá compro e volto para casa. A dona desse bar se chama Dona Neuza uma viúva nos seus 45 anos mais ou menos, está sozinha já uns dois anos. Seu marido trabalhava de caminhoneiro e num acidente veio a falecer ficando ela e dois filhos. Os filhos não moram com ela, logo Dona Neuza toca o bar sozinha Nesta semana (22/05) passando em frente do bar por volta das 23 horas resolvi entrar para tomar uma cerveja antes de chegar em casa. Dona Neuza estava sozinha e pelo que via estava ajeitando as coisas para fechar o bar.

- Boa noite Dona Neuza!

- Boa noite D. tudo bem!

- Dá tempo de tomar uma cervejinha?

- Se não demorar muito dá só não leva a mal de eu descer um pouco a porta!

- Tudo bem!

Tomava minha cerveja e Dona Neuza arrumando as bebidas no frizzer. Não sei se pelo calor do álcool comecei a observar as abaixadas que a viúva dava no frizzer e exibia um belo de um traseiro debaixo de um vestido colado no seu corpo. Pensava comigo: Não é que Dona Neuza tem uma bunda gostosa! De tanto observar minha rola ficou igual uma estaca debaixo da bermuda. Como não uso cueca lógico que o volume foi inevitável. Para disfarçar encostei mais no balcão e puxei papo para distrair um pouco e amolecer o bichão.

- Foi bom o movimento hoje?

- Mais ou menos! Tem mês que aqui enche no outro só um gato pingado!

- Comércio segura muito não é dona Neuza?

- Xiiiii meu filho não sei o que é sair há muito tempo!

- Verdade? Não faça isso dona Neuza a vida é muito curta!

- Eu sei acontece que depois que meu marido morreu perdi a vontade de sair!

- Tem que dar a volta por cima e recomeçar!

Conversava e aquele bundão lindo passando na minha frente, dona Neuza então pede para abaixar a porta por completo quando me dirigia à porta ela percebeu o circo armado porém não disse nada. Voltei ao meu lugar e conversa vai e conversa vem dona Neuza me pede para ajudá-la a pegar umas caixas de cerveja. Carregando a primeira caixa, pelo lugar ser estreito, acabei encostando na bunda de dona Neuza. Ela continuou seu serviço e mais uma vez passando encostei meu cacete duro nela. Percebia que ela me prensava cada vez que passava só para sentir meu cacete esfregar no seu rabão. Ao pegar a ultima caixa pensei comigo, agora se encostar eu aperto meu pau no meio de sua bunda. Não deu outra ao passar ela encostou de novo e eu encoxei gostoso aquele bundão.

- Que isso D. o que você está fazendo?

- Você fica esfregando essa bunda no meu pau e quer que eu fique parado?

- Eu não estou fazendo nada disso!

- Não é! E por que fica aí esfregando no meu pau agora?

Dona Neuza não dizia mais nada apenas se deliciava com a encoxada. Comecei a pegar nos seus seios e beijar seu pescoço enquanto que minha rola estava bem no meio das nádegas.

- ssssssssssssssss...ai que bundão dona Neuza...sssssssssssssssssss...

- Que pintão duro D. faz tempo que não sei o que uma pica!

Virei-a de frente dei-lhe um beijo de lingua e levei minha mão na sua xoxotinha. Como era de se esperar estava ensopada. Dona Neuza sem dizer nada abaixou-se e desceu minha bermuda saltando uma rola cabeçuda aos seus olhos. Sem demora ela dá um beijo na cabeça e começa um boquete delicioso.

- huuuummmm...huuuummmmm... que cacete gostoso...

- iiiissssso mama esta pica mata a saudade vai!

Que chupeta gostosa ela fazia. Sem demora fomos para os fundos do bar a alí tinha um sofá velho onde sentei para curtir a mamada dos deuses que dona Neuza fazia. Não queria gozar tão logo porque meu objetivo todos já sabem, o bundão de dona Neuza. Me levantei tirei o vestido dela coloquei-a sentada dei um trato em sua bucetinha. A viúva urrava de prazer.

- Aaaaaaaaaiiiiiii...que deliiiiiciiia...chupa seu safado...

Ela em delírio gozava uma atrás da outra. Sem demora mergulhei minha pica na sua fenda.

- Aaaaaaaaaaa...sssssssssssssss...come, come, come...como é bom sentir uma rola de novo...

- Então toma dona Neuza, aproveita essa rola que hoje ela é sua!

Comi muito aquela grutinha. Inclusive no inicio estava apertadinha pelo tempo que não recebia visita. No ritmo acelerado da foda não aguentando mais segurar tirei o pau e gozei em seus seios.

- Ai D. que pau gostoso. Que pena que já acabou!

- Hã hã, quem disse que acabou! Agora quero o cuzinho que está escondido nesse bundão aí!

- O cú! Faz tempo que não dou a bunda era só meu marido que de vez em quando comia!

- Então agora vamos voltar a ativa!

Sem ouvir suas desculpas e pedidos fui virando a viúva de costas e posicionando ela de quatro no sofá. Que visão linda daquela bunda levantada diante de mim. Claro que minha rola não estava tão dura por causa da gozada mas sei que ao encostar no buraquinho do prazer ele vai se animar rapidinho. Passei saliva no cuzinho dela e encostei o pau. A rola ficou dura de novo e logo comecei a forçar entrada.

- AAAAAAAAAAi devagar seu puto!

- Nossa que apertadinho dona Neuza!

Empurra, empurra e a cabeça entrou gostoso. A viúva tentou sair mas segurei firme e fui colocando o resto bem devagar.

- AAAAAAAAAiiii...sssssssssssssssss...paraaaaa...

Quando me dei conta seu bundão tinha engolido todo meu pau. Comecei o vai e vem bem lento e fui aos poucos aumento.

- Puta que pariu que bunda gostosa da porra!

- iiiiiisso dona Neuza fica quietinha e só curte...aaaaaaa...sssssssssss...

Seu rabão balançava de encontro com meu corpo. Seu rabinho quentinho e apertadinho alojava meu pau bem gostoso.

- Ai D. vai devagar!

- Tudo bem dona Neuza.

Como fodi aquele rabo. Sendo TARADO POR BUNDAS não poderia deixar passar aquele bundão desfilando na minha frente. Precisava comer de qualquer jeito. Dona Neuza já curtia um pouco mais. Variamos as posições mas a de quatro era a mais apreciada por nós. Socava com vontade no seu cú até que gozei rios de porra cú a dentro. Gozava bombando ao mesmo tempo. Quanto tirei o pau logo atrás veio a porra escorrento no pernão dela. Dei um beijo na sua bunda e a ajudei a levantar. A viúva correu no banheiro se limpar enquanto eu colocava a bermuda.

- Ai meu cú D. você abriu minha pregas novamente!

- Você não gostou?

- Claro garoto. Faz tempo que não sei o que é uma rola na buceta e no cú!

Tomamos uma cerveja juntos e com um beijo nos despedimos prometendo repetir quando aparecesse outra oportunidade. Na verdade ela queria segredo para não ficar falada alí no bar e eu me cuidar para que minha namorada não descubra. Acredito que sempre que quiser tenho um cuzinho por perto para comer. Espero que seja em breve.

taradopbundas@ig.com.br

Sobre este texto

TARADO POR BUNDAS

Autor:

Publicação:27 de maio de 2012 00:42

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Maduras

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Popularidade: 4.00/5
7 votos no total
Este texto foi lido 7.137 vezes desde sua publicação em 27/05/2012. Dados do Google Analytics

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • dimas
    Postado pordimasem27 de maio de 2012 20:59

    nossa, gostaria muito do na neuza de tambem lhe conhecer

  • rogerrogerio
    Postado porrogerrogerioem18 de janeiro de 2013 12:32
    rogerrogerio é um autor no História Erótica

    isso ai realmente é tezão!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*
*