Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Comendo a amiga na Formatura.

Comendo a amiga na Formatura.
Comendo a Amiga na Formatura.
Quero compartilhar com todos estes momentos de prazer que senti ao comer minha colega uma ninfetinha de 18 aninhos, um metro e sessenta de altura, 55 quilos olhos verdes, boca carnuda, seios avantajados, coxas roliças e apetitosas, uma bundinha de matar de inveja qualquer mulher. Luana é seu nome!
Cabelos claros e curtos, a pele branca, porem queimada de sol desperta um desejo animal em qualquer homem, e o meu já vinha de longa data, e esta oportunidade não será desperdiçada. Acompanhei o seu crescimento e sempre tive vontade de fuder aquela boquinha, aquele cuzinho e gozar naquela bucetinha.
Olhei para aquele corpo dentro de um vestido justo e com um grande decote onde deixava aqueles peitinhos suculentos querendo sair saltitando, neste momento eu senti o sabor da sua pele na minha língua e o meu pau já se manifestou. Chamei o garçom e pedi um drinque, dirige-me a seu encontro ela percebeu e já veio fazendo como sempre fez atirou-se encima do meu corpo de uma forma tão intensa que eu pude sentir o bico dos seios roçando no meu peito. Apertei o seu corpo contra o meu e beijei de leve o seu pescoço, senti o seu arrepio e ao mesmo tempo o meu pau endureceu de tal forma que ela percebeu e disse! Você está querendo o que eu sempre quis! Eu me fiz de rogado e perguntei! O que você sempre quis? Para meu espanto ela disse! Ser comida por você! Você não é o Varão! Falei baixinho no seu ouvido, você sabe das coisas! Vem! Saímos sem que a sua mãe percebesse, no jardim da casa de festas existe uma pequena sala de estar, foi para lá que nos dirigimos.
No centro da sala uma grande poltrona redonda, no chão um tapete macio e convidativo. Passei a chave na porta e ela disse – agora vou ganhar meu presente de formatura exclamou sorrindo e deixando as alças do vestido cair, quando o vestido chegou ao chão e eu pude ver aquele corpo bronzeado me convidando para a festa, meu cacete já estava duro e formando um enorme volume e foi então que ela não se fez de rogada, ajoelhou-se e começou a tirar a minha calça, quando o meu cacete saltou para fora eu pensei que ela fosse devora-lo, pois abocanhou com volúpia enquanto puxava com uma das mãos as minhas bolas para que o meu pau ficasse maior ainda, neste momento segurei a sua cabeça e comecei a bombar na boca da safada que quase vomita com a cabeça do cacete na garganta.
Ela olhou bem para min e disse hoje quem manda é eu! Terminou de tirar a minha roupa e me jogou em cima da poltrona e veio com aquela bucetinha rosada e quente na minha boca e disse – antes de você comer o meu cú eu vou gozar na sua boca!
Percebi que não era eu quem chupava, era ela que fodia a minha boca, quando a minha língua penetrava profundo ela gemia e dizia chupa o meu grelo e mete o dedo no meu cuzinho. Eu com bom anfitrião cumpria seus desejos. Foi então que eu senti sair de sua buceta um liquido fino e quente enquanto ela se retorcia e gritava! Filho da puta fode essa buceta com essa língua gostosa. Enquanto ela ainda gozava virou-se para o meu cacete engoliu todo e depois cuspiu na cabeça e disse enfia a língua no meu cú e cospe para ficar molhado! Eu fiz, ela então virou de frente para min e segurou o meu cacete pelo saco e sentou encima com aquele cuzinho apertado, quente e molhado de cuspe, eu não sabia se gritava de prazer ou de prazer, só sei que gritei! Vou acabar com este cú vagabunda. Ela disse – eu é que vou acabar com esse cacete. Sentava até o tronco e ainda mexia com força. Eu sei que você sempre quis me comer e eu também sempre tive vontade de ser sua puta, e tinha ciúmes da tua mulher, me masturbei muitas vezes pensando neste cacete, e agora ele é todo meu, me fode, me arrebenta e goza no meu cuzinho seu safado, gritava ela enquanto eu socava naquele cú. Depois de muito vai e vem ela sentiu que eu queria gozar porque o meu cacete ficou mais grosso e cabeçudo e entrando e saindo daquele cuzinho apertado ela falou goza neste cú e deixa a porra escorrer pelo meu rego. E assim eu fiz! Que cena linda! Aquele cuzinho piscando e a porra pingando, o meu cacete estava latejando fora daquele cú quando ela abocanhou e disse vou sugar o resto! Recompomo-nos e voltamos para a festinha que naquela altura já estava sem graça. Luana você agora levou um canudo, e está de fato formada.

Sobre este texto

V.L.Varão

Autor:

Publicação:19 de dezembro de 2015 16:52

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Jovens

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 19/12/2015.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*