Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Consultoria Erotica

Sou consultor financeiro e faço treinamentos em hospitais pelo Brasil a fora , certa vez fomos eu e um amigo aplicar treinamentos de três em um hospital de Campo Grande participávamos da implantação de um sistema integrado durante o dia concentrávamos-nos no aprendizado das ferramentas eletrônicas , porém a noite saiamos em grupo para conhecer os pontos de encontro da cidade fomos a barzinhos, baladinhas.
No dia de voltar pra São Paulo meu amigo Fagundes estava com Flavia, uma ruivinha linda de 28 anos na sala de TI , ele falava muito nela mas não tinha coragem de agir, era bem tímido, nossas malas já estavam arrumadas e nós em cima do horário, ,entrei na sala apresando o Fagundes , insinuei que ele desse logo uns beijos na Flavia , ele tímido não dizia nada.
Eu disse que precisava me trocar pois o nosso ônibus logo sairia, ele me disse que me trocasse ali mesmo, me assustei ate , pois Flavia estava na sala, ela disse que não olharia e virou-se pra parede, confesso que fiquei excitado com aquela situação, imaginava poder pegar aquela gostosa ali na sala mesmo mas nada rolou e voltamos pra casa.
Fiquei meio frustrado por que naqueles dias não fiquei com ninguém, apesar de toda liberdade mas , dias depois tive de voltar a Campo Grande pois o pessoal ainda não tinha se adaptado ao sistema e estavam tendo grande prejuízo e lá fui eu.
Flavia me recebeu no hospital e me mostrou as dificuldades que vinham enfrentado, logo percebi que ela as vezes me olhava mais demoradamente e meu coração acelerava, não sabia o que fazer ela era casada , tinha uma enorme aliança larga no dedo,.
Numa de nossas conversas me disse que o marido estava viajando e que os colegas do hospital haviam combinado de irem ate um bar perto de uma lagoa no centro da cidade e me convidou, aceitei de imediato. De noite fomos em seis pessoas formando três casais ate o bar , por coincidência todos do grupo eram casados, num dado momentos as mulheres foram ao banheiro e nós homens combinamos de rearranjar as cadeiras de modo que cada um ficasse mais próximo daquela que estavam afim.
Coloquei a cadeira de Flavia de forma que ela ficasse encurralada entre as quinas da parede e eu, entre uma caipirinha e outra , uma cerveja e outra começamos a perceber que o álcool nos deixava cada vez mais soltos. De repente entre risos toquei as coxas de flavia que soltou um pequeno gemido e sorriu, senti um choque na barriga e ao mesmo tempo minha excitação aumentou, não conseguia raciocinar direito, quando me dei conta estávamos nos beijando no cantinho da parede e todos os amigos dela vendo.
A fome era tanta quenosso beijo beirava o sexo oral, linda , bem vestida, cheirosa, cabelo liso, aquilo me deixava nas alturas, queria transar com ela ali mesmo , ainda que fosse de pé em um canto da bar. Fomos para a pista de dança, tocava sua bunda levemente , sentia seus seios duros tocarem meu peito sobre a camisa fina de seda, não aguantava mais e convidei-a a irmos para o carro.
Rapidamente saímos dali, no carro abaixei os bancos e ela sentou-se em mim, abri seu vestido tipo camisao e comecei a chupar seus peitos , abaixei a calça e fiquei sentido o roçar de sua buceta em meu pau sobre a cueca, sua calcinha era minúscula , sentia o roçar de nossos corpos . Tocava sua buceta com a mao tentando explorá-la, sentia seu volume , sentia que estava ensopada, tirei meu pau e com a mao esfregava na entrada, forçava-o sobre a calcinha.
Ela abaixou-se e começou a me chupar freneticamente, engolia todo meu pau, mordia violentamente, chega a sentir dor, olhava em meus olhos e sorria, eu tocava seu rosto, forçava sua boca em meu pau, puxava seu cabelo, quando senti que iria gozar parei e disse que pegaria a camisinha.
Procurei por toda parte mas pra minha decepção eu não havia levado camisinha, pensei em continuar assim mesmo mas, o bom senso não permitiu, ela não se intimidou , voltou a abaixar-se e continuou a me chupar, e me chupava cada vez mais forte, cada vez mais rápido, cada vez mais gostoso, eu gemia cada vez mais alto.
Os vidros do carro estavam molhados pela nossa respiração, de repente não consegui mais me segurar e gozei loucamente,segurei sua cabeça em meu pau enquanto gozava, ela engoliu toda minha porra sem tirar meu pau da boca , não deixou cair uma gota sequer. Ficamos ali por mais uma hora ouvindo musica e conversando.
No dia seguinte voltei pra São Paulo logo cedo e nunca mais nos falamos.

Sobre este texto

Dom Claudio

Autor:

Publicação:8 de setembro de 2014 16:09

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Heterossexual

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Este texto foi lido 177 vezes desde sua publicação em 08/09/2014. Dados do Google Analytics

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*