Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Hipnose para convencer a esposa

Hipnose pra convencer a esposa.
Este conto é realmente verídico, só troquei o nome do casal para evitar complicações para os dois.
Conheci Diego por conta de um anuncio que fiz em um classificado (em uma pagina de internet), onde eu, através da hipnose, me prontificava a convencer a esposa que estivesse travada na hora de realizar a fantasia do corno. Muitos novos amigos me ligaram interessados, na hipnose da patroa, e quem conhece hipnose sabe que ela não da certo, pra convencer alguém de alguma coisa que ela não tenha interesse ou até tenha raiva do assunto, mas, com Diego e Fernanda deu certíssimo, porque o Diego queria realmente compartilhar a esposa, pois a morena, estava morrendo de vontade de fazer uma dupla como ele dizia, o que fez com que Diego realmente confiasse em mim.
Após Diego, entrar em contato comigo, pelo whats, e feitas as apresentações e ele declarar seu problema pra mim, eu mostrei a ele minha experiência, fazendo com que ele confiasse em mim, o que facilitou muito para que a fantasia (nossa) se realizasse. Expliquei a ele que hipnose, não é como, a maioria das pessoas pensam, de que a pessoa hipnotizada fica a mercê do hipnotizador. A hipnose simplesmente é pra destravar uma pessoa que por algum problema de vergonha, ou por problemas religiosos, travam na hora H. Ele me contou que qdo transavam e ele colocava um outro cara na fantasia, Fernanda ficava louca, molhada, tendo muitos orgasmos, rapidamente, mas que depois quando iam conversar sobre o assunto ela sempre dava um jeito de desconversar.
Então marcamos primeiro de nos encontramos em um shopping aqui da região, pra nos conhecermos e arquitetarmos um plano, pq como ele dizia, Fernanda, não poderia saber que ele me procurou na internet, pois ela iria ficar envergonhada e nossos planos iriam por agua abaixo. Então combinamos de nos encontrarmos ali mesmo, no barzinho do shopping como que sem querer, um sábado a tarde e eu chegaria depois de ele deixar ela meio altinha com alguns chopps de vinho que ele disse que ela adorava. Combinei com ele uma conversa que facilitaria como ela se deixaria hipnotizar.
Quando chegou sábado ele me chamou no whatss, logo cedo dizendo que mal conseguira dormir na noite anterior só pensando na fantasia, e que (orientado por mim), tinha só brincado com ela atiçando-a, mas não a deixou gozar, e que ela foi trabalhar cedo e ele ficou de encontra-la no metro Itaquera ás 15h., como combinamos. Conforme foi chegando o horário, ele ia me mandando mensagens, mostrando-se afoito para que as horas passassem rapidamente. Quando deu 16:30 eu cheguei no bar, e como combinamos fizemos um teatrinho, onde ele me apresentou a jovem esposa, eufórico, dizendo que eu era um comerciante, na área em que ele fazia ronda a algum tempo atrás. Fernanda foi muito receptiva, talvez até por já estar altinha pelos chopps que já tinha tomado, e eu fiz questão de não deixar a torre de chopps vazia na mesa, sempre sendo muito gentil com eles e demonstrando muita intimidade com Diego e colocando-a sempre na conversa.
Após uns 45 minutos, pedi licença e fui ao banheiro, dando tempo a Diego falar pra ela, que na época em que ele fazia ronda na minha região, as meninas da área, viviam suspirando por mim, dizendo que eu era o pica doce do pedaço, que era bem dotado e que tinha ficado sabendo por comentário dos colegas, que eu saia com uma casada muito bonita da região, como tínhamos combinado no nosso primeiro encontro. Notei quando voltei que Fernanda, ficou me secando o meu pinto, acho que pra ver se o que o marido comentou era verdade, e eu estava já pau duro, e qdo a morena me encarou, percebendo que eu tinha visto o seu olhar e que ela mordeu os lábios quando constatou ele duro e a veracidade dos comentários, ficou vermelhinha de vergonha. Mas assim que sentei, Diego muito malandramente, me perguntou na frente da esposa sobre a casada que eu tinha saído, eu me mostrei surpreso e neguei, ele ficou insistindo, pra que eu contasse e Fernanda reclamou do marido, a indiscrição tentando me ajudar diante da insistência do marido e como combinado eu me abri com eles contando que eu tinha uma técnica de hipnose e que tinha usado para com a casada, deixando-os mudos (eu tinha combinado com Diego, para que ele insistisse, exatamente pra mostrar minha discrição, para com as mulheres que saio e para que ela sentisse segurança que, o que viesse acontecer, iria ficar entre nós), o que demonstrou ter dado certo.
Logo após alguns segundos de silencio, Diego se mostrou incrédulo ao que eu falei da minha habilidade, o que mudou o rumo da conversa para minha capacidade de hipnotizar alguém, terminando após algumas explicações de como a hipnose ocorria, de me desafiar se eu seria capaz de hipnotizar Fernanda, por exemplo, que logo tirou o corpo fora e falou que não. Eu expliquei a eles que tem pessoas que não são hipnotizáveis, devido a sua falta de capacidade de concentração, o que mexeu com os brios da moça, já demonstrando que não era por isso, mas sim pq não queria se submeter a isso, mas o marido, não deixou barato e ficou tripudiando encima dela, pelo que eu tinha dito e somado a quantidade de chopps que ela já tinha tomado, ela começou a perguntar se ela topasse como seria? Eu respondi que não seria nada demais, que precisaríamos ir para um lugar tranquilo, com musica suave, onde eu precisaria ter toda a atenção e concentração dela. Ela ficou assustada de onde seria esse lugar tranquilo e eu já antevendo sua preocupação, citei meu carro no estacionamento do shopingg (que eu deixei estrategicamente numa vaga coberta e meio escondida). Ela então pediu para ir ao banheiro, levantou-se e foi, deixando Diego comigo que não se continha de excitação e euforia, me mostrando até sua mão suada e que estava com o caralho duro que chegava a doer. Tratei de fechar a conta do bar e assim que ela chegou, perguntei brincando com ela, se ela tinha desistido, novamente mexendo com seus brios, ela disse que não e intimou a irmos ao carro, pegou na mão de Diego, não sem antes olhar meu pau e o dele duro.
Então fomos os três, andando no estacionamento, ela meio quieta e eu preocupado em não deixa-la quieta para não dar tempo á ela de refletir e pensar no assunto. Quando chegamos no carro, ela quis sentar atrás, mas eu falei que ela precisava ir na frente ela entendeu o recado e ante a insistência de Diego para que me obedecesse, sentou-se no banco da frente, onde eu liguei o som numa musica ambiente e relaxante, iniciei as técnicas para que ela ficasse relaxada, mas quem disse que aquele furacão conseguia relaxar? Ela estava muito anciosa, e começou com um acesso de risos demonstrando que não ficaria relaxada, o que causou um inicio de discussão entre ela e Diego. Eu experiente, falei para o Diego, pq não ele ser o hipnotizado, ele ficou pensativo e eu disfarçadamente pisquei pra ele, demonstrando que eu não hipnotizaria ele. Então ele topou, ela mais que depressa fez menção em trocar de lugar com ele e eu disse que não seria necessário. Então mandei que ele ficasse relaxado de iniciei as técnicas dizendo a ele que me olhasse e se concentrasse, que estava ficando com os olhos pesados e com sono, mas que ele não ia dormir, só ficar relaxado, que se sentasse no banco bem relaxado, que estávamos entre amigos e que ele iria me obedecer. Após uns 15 minutos, Diego estava parecendo um sonambulo o que me deixou achando que ele realmente tinha ficado hipnotizado, mas não o sacana estava consciente, e era um excelente ator, rsrsr.
Então eu peguei e disse a ela o que ela queria saber dele, ela não acreditou e perguntou sobre coisas do tipo que se ele á amava, se tinha algum caso com uma ex-namorada, e ele negando ou afirmando, sempre submisso. Ai, eu peguei e falei não vamos perder a oportunidade, e vamos perguntar sobre o que ele deseja, quais são seus sonhos e ele entrando no jogo foi falando sobre suas fantasias e mostrando-se contrariado por ela não aceitar realizar a sua fantasia. Fernanda a cada revelação dele ia ficando cada vez mais ruborizada e excitada, pois ia esfregando as pernas, uma contra a outra, e como estávamos os dois olhando para o banco de tras, estávamos com os corpos e rostos muito próximos, e ai foi só um virar para o lado para um beijo muito lambuzado acontecer, e só parar quando ela lembrou-se que seu marido estava lá, fingindo-se sonambulo e ficar preocupada, e eu a tranquilizei dizendo que ele estava sob transe. Ela então me perguntou se ele se lembraria, do ocorrido, eu disse só se ela quisesse e eu ordenasse, o que tranquilizou-a e voltamos a nos beijar e ai comecei a chupar os seus seios que coloquei pra fora e ela toda hora preocupada com o corno então eu falei pra ela, quer ver como ele esta em transe, e mandei o corno tirar o pinto pra fora e bater uma punheta pra ela ver o meu domínio sobre ele e ele assim o fez, mas ordenei a ele pra não gozar então ele diminuiu o ritmo da punheta e eu falei pra ela ir dar uma chupada nele, essa mulher virou um vulcão em erupção, eu abaixei as suas calças e comece a chupa-la e protegidos pelo insufilm do carro fizemos um bacanal muito sacana lá dentro. Quando ela começou desconfiar que estava realizando a fantasia do marido e que ele não estava em transe eu que já estava comendo-a por trás, tirei a camisinha e gozei em sua bunda e para provar pra ela que ele estava em transe mandei ele limpa-la. O que ele fez sem pestanejar, e como ela sabia que a fantasia dele era ser corno, nunca imaginou que ele quisesse tomar leite de macho, acabou acreditando.
Então quis leva-los a um motel, mas ela não quis dizendo que estava suja e que não queria que sua primeira traição eu a visse bem vestida e cheirosinha, eu concordei. Ela me perguntou e agora como faríamos pra acorda-lo. Eu mandei ela limpar a boca dele e colocar a calça dele de volta, no lugar e falei uma palavra no ouvido dele falando que ele qdo ouvisse aquelas palavras entraria em transe e me obedeceria novamente, mas que ele não se lembraria de mais nada, arrumamos o banco e mandei ela sentar atrás e ele vir pra frente, e o fiz acordar do transe, ele fez cara de sonolento e perguntou o que tinha acontecido e nós falamos que nada que ele só dormiu alguns minutos. Trocamos telefones, onde ele fez questão de me dar o telefone dela, e fui leva-los em casa apesar da insistência dela em dizer que não precisava (talvez para eu não ficar sabendo onde moravam), mas levei-os até a porta de casa, onde ele até me convidou pra tomar uma, mas diante do medo dela achei melhor não forçar a barra e falei pra gente tomar uma outro dia que eu levaria um vinho e fui embora.
No dia seguinte ele me ligou e agradeceu imensamente, pois Fernanda estava louca e eles treparam a noite toda relembrando a fantasia, mas um não falando pro outro do que fizeram, mas que ela estava mais tesuda do que o comum, chegando até a falar o meu nome (atiçada por ele) no momento de um gozo. Ele diz que ela sempre pergunta por mim agora e falou de marcarmos o vinho que falei que levaria numa próxima visita. Só estamos esperando o dia de folga dele cair num fim de semana. Se algum amigo necessitar da minha ajuda pra convencer a esposa mande-me um email para [email protected] ou procure o titulo deste conto no google.

Sobre este texto

George Paul

Autor:

Publicação:3 de fevereiro de 2018 13:11

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Encontro a Três

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 03/02/2018.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*