Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Meu profe de Educação Física e eu na piscina

Meu profe de Educação Física e eu na piscina
Gente, que inusitado!! Alguém tímida (e gostosinha mesmo!) leu alguns contos meus e gostou muito, tanto que ela tem uma historieta pra nos contar e me pagou--- digo me pediu pra publicar o seguinte conto [sabe cumé essas meninas né]: De brinde vai uma foto minha aqui na esquerda...
"Oi! Meu nome é Anny, estou com 18 aninhos. Sou branca, cabelos pretos lisos, 58kg, coxas cheias, lábios volumosos. Vou contar pra vocês de quando perdi minha virgindade, e foi com meu profe de educação física. Ele era meu professor desde o 6º ano, quando eu tinha 12 anos. Logo que ele chegou, eu e minhas colegas o achávamos o maior gato, braços fortes e peito estufado, mas era só palhaçada de criança. Contudo, eu naquele época começava a me amadurecer, iam aparecendo as bolotinhas dos seios e uns pelinhos na minha bucetinha lisa e virgem, que aguçavam minha curiosidade.
Foi essa curiosidade que me fez ficar um dia na piscina da escola no contraturno, horário em que praticávamos educação física com o profe bonitão. A piscina ficava no playground, mas a turma todo gostava mesmo era de jogar bola, e naquela tarde estavam todos lá na quadra, menos eu. Pois bem, resolvi ficar de bobeira na piscina, eu gostava mais. Estava só de biquíni, minha buceta começou a coçar, era uma coceira um pouco incômoda e um pouco prazerosa até, daí desci um pouco a calcinha e passei alguns dedos nela, como numa massagem. Eis que, quando ergo os olhos, vejo o profe gatão me observando da janela do segundo andar da escola, acho que lá era a secretaria, ou sala dos professores. Fiquei gelada e com muita vergonha, esperava que ele fosse me dar uma bronca por estar fazendo aquilo na piscina e principalmente por estar fora da quadra. Na hora subi a calcinha e disfarcei, mas percebi que ele continuava me olhando. No outro dia na aula, cruzei com ele no corredor e ele me olhou com um olhar bonito, como nunca tinha me olhado antes.
O episódio passou e nenhum de nós disse nada, acabei esquecendo disso por um tempo. Quando eu já tinha 13 anos, minha buceta em formação continuava latejando, tinha mais pelinhos, algumas colegas minhas já namoravam, mas eu era virgem de tudo, e o profe era muito comentado pelo corpão dele. Certa tarde, relembrando aquela outra tarde dos meus 12 anos, de novo fui para a piscina, com minha prexeca molhadinha antes mesmo de eu entrar na água, essa coisa de pré-adolescente. Como esperado, vi meu profe me olhando da mesma janela, ele devia estar sozinho, mas não era uma observação explícita, ele meio que disfarçava. Dessa vez de propósito, desci minha calcinha até o joelho, acariciei minha bucetinha, olhei com malícia pro profe, virei-me de costas, deixei ele ver meu bumbum, que já era durinho e bem grandinho, eu usava legging e os meninos falavam de mim. Daí dei um mergulho de costas, levantando bem minha bundinha e separando minhas pernas pra mostrar o meio (tinha uns pelinhos ao redor do meu cu, pois eu nao depilava ainda). Naquele momento, o sinal do final da aula de educação física tocou, quando olhei pra janela o profe não estava mais lá. Quando nos vimos em sala de aula, ele ficava me olhando gostoso. Conversávamos pouco, um dia numa conversa extrovertida comigo e minhas amigas, ele perguntou se tínhamos namorados, eu disse que não, acho que ele queria mesmo era a minha resposta. Àquela altura, pensamentos de sexo povoavam minha mente, eu queria saber como era, mas não tinha coragem de pedir pros meninos me comer.
Mais tempo se passou, completei 14 anos, minhas tetas apareceram, meu bumbum cresceu empinadinho, tinha dia que enxurrada descia da minha prexeca virgem, e a boba não sabia tocar siririca. Certo dia em sala de aula, recebi um bilhete anônimo. A princípio pensei que fosse mais uma bobagem dos meninos imaturos, mas ao abrir vi que era um convite dizendo: "Vamos nos encontrar hoje as sete da noite na piscina?" Meu coração disparou, meu sentido foi no profe gato, mas... Será mesmo? À noite a escola não funcionava, às vezes íamos lá para fazer noite do pijama e outras atividades, mas normalmente era deserta. Resolvi ir, e encontrei o portão da frente aberto, embora aparentemente não houvesse ninguém na unidade. Fui direto pra área da piscina, fiquei de biquíni, entrei na água desconfiada, estava quentinha. E quentinha estava também minha buceta. Dei uns mergulhos, se ninguém aparecesse eu me importaria, pois nadar à noite era fantástico. Olhei pra janela onde ficava meu profe, não vi nada, estava fechada de cortina. Quando ia me virando, eis a surpresa! Uns braços fortes me envolveram, me puxaram pra perto, reconheci na hora a voz que disse:
- Aproveitando a noitinha abafada pra dar uns mergulhos, Anny?
- Sim, profe - respondi enrubescida.
- Você mergulha muito bem - sussurrou no meu ouvido.
- Obrigada.
Daí virei-me pra ele, estava nervosa, vi que ele estava só de sunga, o peito e as pernas cabeludas, um volume na sunga.
- Sabe por que você sente coceira? - perguntou-me, com tom pedagógico de sala de aula.
Eu ia responder em tom de aluna que era porque minha vagina estava amadurecendo, mas antes disso ele disse:
- Essa calcinha não é bom pra mergulho. É de algodão. Pra mergulhar tem que ser uma peça leve. Na verdade acho que você ficaria melhor sem, como naquela vez que você desceu até o joelho.
Ele desceu as mãos grandes pelo meu corpo até pegar na minha calcinha, e então desceu-a até o meio da coxa.
- Assim está melhor?
Minha buceta respondeu latejando que sim. Eu não sabia o que fazer. Olhei pra sunga dele debaixo da água azul, dava pra ver o desenho do pau dele.
- Tem um bocado de pêlo aqui hein! - ele disse, passando a mão em cima da minha vagina. - Ninguém tirou um pouco desse pêlo?
- Não - respondi timidamente, olhando minha buceta debaixo d'água na reta do pau do profe. - Sabe? Também sinto coceira aqui nos seios!
- Nos seios hã? Deixe-me ver - e tirou meu sutiã.
Que loucura! Fiquei peladinha na frente de um homem pela primeira vez na vida.
- E o senhor tem muitos pêlos aí? - perguntei, só pra não dizer que eu não estava louca pra dar a buceta pra ele.
- Tem um bocadinho - e tirou a sunga, deixando um pênis grande e grosso sair.
A cabeça do pau do profe estava latejando, o pênis dele ia crescendo, e encostou na minha vagina. Ele me beijou na boca, me deixando ainda mais excitada. Daí encostou minhas costas na parede da piscina, abriu minhas pernas e, debaixo da água, chupou minha buceta, chupou muito e gostoso. Suspirei de tesão, os lábios da minha prexequinha ficaram enormes, por impulso pequei no pau dele, queria saber como era a têxtura.
- Você quer? - o profe perguntou quando acariciei o pau dele.
- Muito! - respondi miando.
Ele me carregou para fora da água de pernas abertas, colocou-me deitada na borda piscina e foi colocando o pênis dentro da minha bucetinha aos poucos. Doeu um pouco, pois eu era virgem, buceta pequeninha, e por outro lado o pau dele era enorme. Eu gemia de prazer. Terminada a introdução, ele fez movimento de vai e vem. Nossa, saí de mim! Abracei as costas dele com minhas pernas, suei, gritei, dizendo "Ai, profe!", sentia o saco dele batendo nos lábios da minha buceta com tudo. Dali a pouco, fui ao paraíso, vi ainda mais estrelas no céu enquanto ele me comia e chupava meu pescoço. Senti ele ficar mais ofegante e tirar o pau de dentro mim. Gozou em cima da minha barriguinha. Depois do efeito excitação, morri de vergonha, mas não de arrependimento. Aproveitamos para tomar um banho rápido e ele sumiu tão misteriosamente quanto a aparecera.
Fiquei curiosa pra saber se eu tinha ido bem, mesmo considerando que eu era principiante. No final do bimestre, fui a única da turma a tirar 10. Acho que isso respondia minhas dúvidas.
E foi assim que perdi meu cabaço, pessoal! Tchau!"

Sobre este texto

macielsalles

Autor:

Publicação:10 de novembro de 2015 15:24

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Jovens

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 10/11/2015.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • claudiosorocabasp
    Postado porclaudiosorocabaspem16 de dezembro de 2015 13:56

    Moro em sorocaba, sou educado, cheiroso, culto, excelente nível, com corpo musculoso pele clara cabelos pretos lisos olhos castahos claros, rosto bonito, com local discreto e seguros em sorocaba mas posso viajar durante a semana

    Adoro beijos demorados longas preliminares demoradas penetrações para vc sentir prazer e gozar comigo.
    Procuro mulher fogosa ou casal liberal cujo marido sinta prazer vendo a esposa com outro macho, para encontros sigilosos e quem sabe frequentes, com sigilo, segurança e higiene, visando somente a intensos momentos de prazer sexualMoro em sorocaba, sou educado, cheiroso, culto, excelente nível, com corpo musculoso pele clara cabelos pretos lisos olhos castahos claros, rosto bonito, com local discreto e seguros em sorocaba mas posso viajar durante a semana.

    Meu e mail é [email protected]

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*