Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Talita e Anita, perdidas na selva



Talita e sua prima Anita, são duas lindas jovens que residem no mesmo condômino. São filhas únicas de família abastada. São unidas por forte amizade e andam quase sempre juntas. Pouco conhecem da vida fora do luxuoso condomínio fechado, composto de quinze luxuosos prédios. Lá elas encontram tudo que é necessário, desde escola onde estudam, lojas de todos os tipos, salas de cinema, clínicas médicas, shopping, clubes com piscinas e área de esportes e muito mais.
Praticamente com a mesma idade, quatorze anos, está tudo sendo preparado, num dos salões de eventos, para comemorarem, dentro de dois meses, quinze primaveras,
As primas estão exultantes com a proximidade do evento e já tem praticamente pronta a lista dos convidados, cerca de cento e trinta, a maioria jovens como elas. Não residentes no condomínio, apenas doze deles.
Helena, a tia de Anita e Talita, mora com a família em um apartamento de cobertura, na área nobre da cidade. Eles encabeçam a lista dos não residentes no condomínio, em número de seis. Ela, o marido e os quatro filhos, uma moça e três rapazes, os primos de das garotas.
O marido de Helena, é um poderoso homem de negócios, um bilionário, com negócios em várias partes do mundo e nem por isso, ele esconde sua família numa pseudo segurança.
Helena, não se conforma por suas irmãs decidirem “confinar” as filhas num condomínio, as escondendo da realidade do mundo atual.
As garotas, trocando confidencias, veem nisso a oportunidade de conhecerem um pouco o modo de vida fora da “jaula dourada” que habitam. Batem pé firme com os pais, dizendo que elas mesmo querem ir visitar a tia Helena e convidá-la e aos primos para o aniversário de quinze anos delas.
Relutantes, deram permissão e numa sexta-feira, à tarde, o motorista da família as levou. Já tinham combinado com a tia, que preparou tudo para receber as garotas, que ficarem com ela por três dias.
No reencontro com as sobrinhas, foi aquela festa e elas ficaram encantadas com os primos. Beth a filha de Helena, logo se enturmou com as duas, assim como os três rapazes, que ficaram de “olho gordo” para cima das lindas garotinhas, que apesar de piralhas, eram na opinião deles, “gostosas pra caralho” Beth, com dezenove anos é uma estudante universitária, bastante bonita e de pouco juízo. Os rapazes, Todos os três acima dos vinte e dois anos, dirigem uma das empresas do pai, diga-se com grande eficiência. Solteiros por opção, ainda moram com os pais e são bastante mulherengos, frequentando sempre juntos as baladas e a vida noturna da cidade. João Henrique, o mais velho, e mulherendo dos três, ficou taradão ao ver as “deliciosas” priminhas. Mas como bom moço, seu desejo incestuoso ficou nó nisso.
Beth pediu e a mãe deixou que ela levasse as jovenzinhas para um passeio pela cidade. Beth, bem mais velha que suas primas, as levou no seu carro, para o prometido passeio. No caminho confessou para Anita e Talita que elas serviram de escudo para que pudesse se encontrar com o carinha que ela estava ficando, o Thiago; isso depois que Helena a proibiu de o namorar, pôr o considerar de péssimo caráter.
As garotas ficaram entusiasmadas com tudo aquilo, a prima saindo de casa para se encontrar com o namorado e as usando como escudo. Que aventura gostosa!
Beth as levou para o apartamento de Thiago e pediu que ficassem de bico fechado. Se a mãe perguntasse onde foram, deveriam dizer que passaram a tarde toda visitando o shopping e que depois foram assistir um filme. Anita e Talita, saboreando a aventura, concordaram com a prima.
- Beth, quem são estas duas meninas? São presentes teus para mim?
- Deixe de palhaçada, amor.... elas são minhas primas e concordaram em acobertar minha vinda ao teu apartamento.
- Fiquem a vontades garotas eu e Thiago, vamos dar uns amassos no quarto dele, se necessitarem de qualquer coisa, batam na porta.
- Eles já estão um tempão no quarto.... o que será que estão fazendo, Anita?
- Eu acho que ele está “jantando” ela! Vamos meter o ouvido na porta, podemos escutar os sons dos talheres?
- Não seja safada, Talita... não nos interessa que Beth, mate a fome do namorado!
As priminhas, mesmo sentadas no sofá, puderam ouvir o escândalo que Beth, fazia no quarto e não puderam conter um riso safado e cumplices.
Tão a atentas estavam na sinfonia, agora com Thiago fazendo dueto com Beth, que se sobressaltaram ao ouvir o som estridente da campainha da porta e isso se repetiu por mais algumas vezes.
Estavam a ponto de irem chamar os amantes lá no quarto, quando de súbito a porta se abriu e quatro rapazes entraram e demonstraram surpresa ao verem as duas garotas perplexas sentadas no sofá.
- Quem são vocês, bonecas? Vocês são bem novinhas para serem comidas do meu primo! Onde está ele?
Anita, perturbada e envergonhada por ele as considerar comidas de Thiago, apenas murmurou:
- Ele está lá no quarto, conversando com Beth, a nossa prima.
- Ah!!! Eu conheço a Beth e sei muito bem que os dois não estão apenas conversando, mas sim fodendo, como sempre fazem.
As garotas vermelhas como pimentão, ao escutarem os comentários chulos do primo de Thiago, envergonhadas ao máximo, por tudo aquilo ser fora do mundinho em que viviam. Talita se levantou e ia em direção ao quarto, para chamar Thiago e Beth.
- Nada disso, ruivinha... deixe os pombinhos se amarem à vontade. Não queremos ser empata foda, não é mesmo?
Sentadinhas, sem saber o que falar, com os quatro rapazes as olhando com muita atenção.
Para cortar o acanhamento delas, logo observado pelo quarteto, o primo de Thiago se apresentou:
- Eu sou Ricardo. Estes outros são meus melhores amigos, Fernando, Paulo e Miguel. Eu tenho a chave do apartamento de Thiago e como ele não atendeu a porta, eu fiz uso dela. Ficamos surpreendidos por as encontrar aqui.
- Me digam quem são vocês e o que fazem no apartamento do me primo?
Com os corações batendo um pouco mais ritmado, Anita e Talita se apresentaram e contaram que estavam ali, para acompanhar a prima Beth. Disseram seus nomes e onde moravam, até suas idades eles ficaram sabendo.
- Minha nossa! Vocês nem parecem que só tem quatorze aninhos. São bem desenvolvidas e bastante bonitas.
Daí em diante o papo entre eles, foi acontecendo naturalmente. As inocentes e bobinhas garotas, sem maldade nenhuma em seus corações, estavam gostando da conversa envolventes deles, que se mostraram simpáticos e galanteadores.
Ricardo, o mais cativante, chamou todos para irem à copa e lá, fez questão de servir um licor para elas. As garotinhas, logicamente não aceitaram, dizendo que eram muito novinhas para aceitarem bebidas alcoólicas. Então ele preparou para as duas um coquetel, dizendo que só levava uma gotinha de nada de álcool.
Sem que elas observassem, Fernando murmurou algo para Miguel e este entregou para Ricardo, cinco comprimidos de cor marrom, que foram logo diluídos no coquetel.
Incautas, Anita e Talita, tragaram todo o conteúdo da taça e Paulo fez questão de as servir novamente da beberagem.
Alguns minutos depois, sentadas no sofá, Anita se sentia estranha e aceitava nem nenhuma restrição, que Miguel beijasse seus seios desnudos e que Paulo, com as mãos dentro de sua calcinha, explorasse com os dedos, sua grutinha. Ela apenas ria, não sabendo a razão de achar graça de tudo aquilo.
Talita, deitada no outro sofá, tinha o vestido levantado até a cintura e a calcinha rosa descida até o joelho. Ricardo, no meio das coxas dela, chupava com gula a virgem buceta da menina.
Fernando, abre a porta da sala e alerta seus amigos:
- Rapaziada, está tudo pronto. O carro está na garagem, pronto para rodar. Andem logo, vamos levar estes anjinhos para abaixo, antes que Thiago e Beth se cansem de foder e saiam do quarto. Tratem de deixar luto limpo... não quero que o primo descubra que estivemos aqui e que sequestramos as primas de Beth.
Pouco mais de duas horas mais tarde, Anita e Talita se encontravam num amplo aposento, um quarto todo atapetado, e com uma enorme cama redonda e alguns outro moveis. A peculiaridade era que sobre a cama, no teto, havia um espelho, também redondo.
Ambas estavam deitadas sobre a cama e apesar de manterem os olhos bem abertos, pareciam não ver seus corpos refletidos por inteiro no grande espelho acima
No quarto, estavam Fernando, Paulo Miguel e Paulo e observando atentamente as garotas nuas sobre a cama, uma mulher ruiva, de meia idade:
- Está certo, rapazes; estas garotas são belíssimas e seus corpos são apetitosos, mas elas são bem novinhas, uma piralhas e isso pode me trazer complicações. Não pago o que vocês estão pedindo pelas duas. Dou apenas 200 mil por cada uma, nada mais do que isso.
- Dona Olga, elas valem muito mais, pois ainda são virgens. Eu e meus amigos só fizemos oral e nem no cu delas entramos.
- Se são realmente cabaços, dou vinte paus a mais por cada uma. Vocês têm certeza que ninguém os viu quando as trouxeram para mim.
- Absoluta, dona Olga. Nós as drogamos e saímos da casa do primo e ele estava no quarto com a Beth e não viu nada.
- Por falar nela, vocês prometeram que a venderia para mim e até hoje ficou tudo só na promessa.
- Não foi possível fazermos negócio com a Beth. Ela é comida de Thiago. Ele me disse que só aceitaria 120 mil pratas por ela e assenhora só ofereceu 80.
A mulher dele não vale mais do que isso. Ela é furada no cu e na buceta e já passa da idade de minha preferência.

000000000000000000000

Quando Beth, cansada de fazer sexo com Thiago, procurou as primas se apavorou por não as encontrar. Thiago também demonstrou preocupação perlo sumiço das garotas, ainda mais que elas sumiram de dentro de sua casa, o que era um complicador a mais,
Thiago, na copa, viu sinais que Fernando e seus amigos estiveram ali e de imediato soube que eles levaram as garotas para serem vendidas para Olga, a russa, proprietária de um prostibulo na cidade vizinha. Entretanto, não podia falar nada para Beth, pois ele mesmo fazia parte da quadrilha de agenciadores de garotas para a mulher. Beth, a sua Beth, só não foi vendida porque a russa só queria dar uma miséria por ela.
Tudo se complicou para Thiago, quando Beth desesperada pelo sumiço das meninas, disse que iria chamar a polícia. Isso ele não poderia deixar acontecer. Se os homens viessem meter o bedelho em sua casa, iriam descobrir muitas “lembranças” das meninas que, depois de atraídas para sua casa, foram vendidas para a russa.
Pervertido, Thiago mantinha em seu computador seis vídeos das garotas que vendeu para a mulher. Neles, ele e seu primo e amigos apareciam fazendo selvajarias com as jovens, só não as penetrando, pois, virgens valem muito mais neste tipo de negócio.
Ele pediu, implorou que ela não fizesse isso. As meninas deviam ter ido para casa por contra própria. Ela duvidou que fosse isso e então pegou o telefone para comunicar o sumiço das garotas.
Thiago não queria, mas se viu obrigado a impedir isso e aplicou nela uma forte gravata. Beth, assim surpreendida, se debateu, esperneou, mas ele não aflouxou o aperto em sua garganta. Um minuto depois, a sentiu mole em seus braços. A deitou no chão e depois de a examinar, viu que ainda estava vida.
Sua queridinha, tinha de morrer... antes ela, do que permitir ter a vida arruinada pela boca grande dela. Procurou pela casa e encontrou um fio de nylon, O enrolou em voltado pescoço de Beth e sentado sobre o seu ventre, segurando as extremidades, deu início ao enforcamento.
No meio do processo parou de puxar o fio. Porque calar a boca da jovem desta maneira? Ele poderia obter isso de maneira diferente e ainda por cima embolsar uma boa grana.
A levou para o quarto e usando o mesmo fio que estava usando para a eliminar, amarrou seus pulso e tornozelos e enterrou em sua boca uma bucha de pano, que prendeu na nuca por com tiras de pano, para manter a mordaça na boca de Beth.
- Fernando, seu filho da puta.... o que fizeram com as garotinhas, primas de Beth?
- Acabamos de as vender para Olga. Lucramos barbaridade com esta venda, foram duzentos vinte mil por cada uma, tudo por serem bem novinhas e virgens.
- Você é mesmo um safado, primo! Traga os garotos e venha buscar Beth, eu estou aceitando os oitentas mil que Olga oferece por ela.
- Epa! Qual a razão disso, se antes você recusou a oferta por ela?
- Tu és o culpado, Fernando. Ela queria chamar a polícia e não tive escolha, a coloquei fora de combate. Mas eu quero uma parte da venda das primas.
Bem mais tarde, os quatro amigos chegaram e Thiago os levou até onde tinha prendido Beth, totalmente imobilizada, os olhavam com o pavor emoldurado em seu rosto.
- Aqui está ela, rapazes. Eu a vendo por oitenta mil e quero quarenta mil por Talita e Anita, vinte por cada uma. Diga para a Olga que negocie Beth para compradores fora do Brasil. Ela está sabendo de todo o nosso esquema e seria perigoso a manter no Brasil.
- Thiago, porque você a amarrou?
- Seu merda...eu não tinha nada para a drogar e tinha até me decidido a matar a putinha, foi aí que me lembrei que a russa tina oferecido oitenta mil por ela.
- Você teve muita sorte, Beth... em vez de ser morta... vais dar o rabo para muita gente fora do Brasil... melhor assim, não achas?
Beth horrorizada, não conseguia desviar o olhar do homem que imaginava a amava.... era por demais cruel o que estava ouvindo dele.
- Tudo bem, primo...já que está cortando teu laço com Beth, antes de a levarmos para Olga, eu meus amigos queremos provar a buceta do tua ex,
- Podemos?
- Façam o que bem entenderem com ela. Vou pegar a minha filmadora. A exemplo das outras meninas, quero ter um vídeo dela sendo fudida por vocês.
Thiago, com a máquina em punho começou a filmar o horripilante estupro coletivo de Beth.
Os rapazes se despiram, a soltaram das amarras e foram com tudo para cima da jovem.
Livre, lutou desesperadamente contra os quatro, mas foi impiedosamente surrada e estuprada com extremo requinte de maldade. Thiago, excitado pela dantesca cena, não deixou de filmar nem por um instante.
Gemendo de dor, Beth foi drogada e transportada para o prostibulo de Olga. A mulher ficou surpresa ao ver a jovem que eles estavam trazendo.
- Então esta e a tal que dorme com Thiago? Puta merda, ela está um caco...o que fizeram com ela?
- Aquelas duas garotas que de hoje à tarde, são primas de Beth e quando descobriu que sumiram da casa de Thiago, ela queria chamar a polícia e isso ele não poderia deixar acontecer. Então ele liberou ela para a gente. Beth resistiu muito e tivemos de amansar a bichinha coisa pouco. Nada de mais, só umas porradas.
- Não havia necessidade de bater deste modo, está com o rosto todo marcado!
Deste jeito só pago cinquenta mil por ela. Não quero que meus clientes a veja tão machucada, e vou ter de esperar que se recupere para que esteja apto a dar prazer aos homens,
Depois que que chegaram a um acordo Beth foi para o mesmo quarto em que estavam Talita e Anita, que anda estavam sobre ação da poderosa droga ingerida.
0000000000000,
Na noite seguinte, com a casa lotada de clientes, Olga vendo que entre eles estavam um velhote, podre de rico, decidiu faturar alto.
- Doutor Frederico, o senhor já é frequentador de minha casa há muito tempo e sendo assim sei que gostas de garotinhas bem novinhas. Se eu lhe mostrar o que tenho lá cima, o senhor vai ficar impressionado. São duas meninas, bem novinhas e ainda virgens
Eu as adquiri ontem e ainda não as apresentei a nenhum cliente. Se estiver com vontade posso levá-lo ao quarto delas.
Olga acompanhada com Frederico entrou no quarto onde as três estavam trancadas. O homem arregalou os olhos ao ver Talita, Anita e Beth. As nuas deitadas na cama redonda.
- Puta que pariu, Olga. Que visão mais maravilhosa. Mas estas duas são bem novinhas, acho que com a idade de minhas netas. São uma coisa de doido!
- Como vieram para aqui, Olga?
- Eu comprei as garotas de um mesmo fornecedor e no meu ramo de negócio, não pergunto como ele conseguiu as meninas. Doutor Frederico, o senhor pode escolher umas das meninas e tirar o cabaço dela. Tudo depende de quanto estar disposta a desembolsar.
-Uma delas! Não mesmo Olga...eu quero as três! Possa pagar o que pedires, está bem assim!
- Você tem fôlego para atender as três?
- Tenho sim e, não esqueças que tenho boca, língua e dedos.
0000000000000
Frederico, ao lado da cama, despido olhava as três garotas. Em dúvidas em escolher a primeira, Talita foi a escolhida, a puxou pelos tornozelos a posicionando com os pés no chão e com o corpo sobre a cama. De joelhos, admirava a buceta gordinha e sem nenhum pelo. Tomado por enorme desejo, separou as coxas de Talita e introduziu um dedo e sentiu que realmente era uma virgem.
Alucinado, separou com os dedos os lábios vaginais de Talita e enterrou a boca. Por muito tempo ficou chupando a jovem, depois a virou de bunda para cima e bem lentamente foi enterrando o pau enorme na virgem. Vibrou quando sentiu o hímen ser rompido. Cavalgou a coitadinha por muitos minutos, até que lhe veio o ápice final e despejou todo o seu gozo bem fundo dentro de Talita. O estupro da garota ficou coroado com o sangue manchando suas belas coxas.
Algum tempo depois, fez o mesmo com Rita, a virou de bunda para cima, se deitou sobre ela, e colocou a cabeça do caralho na entradinha do cu. Para sua frustação mesmo fazendo força, não conseguiu sodomizá-la. Gozou a pouco em Talita e agora o seu pau estava mortinho. Mas Rita não escapou de um banho de gato completo e muitos minutos depois, Frederico percebeu que já estava “armado” para comer o cu da garota e foi o que ele fez, gozou como nunca no rabo da jovem.
Ele tinha comprado toda a noite para ficar com as três jovens, mas depois que fodeu Beth, ficou dentro da buceta dela e adormeceu.
Quase cinco horas, Talita, muito zonza começou a se livrar dos efeitos da droga. Não tinha nenhuma noção do ocorrido; estava na casa de Thiago, esperando que Beth terminasse o seu idílio com ele. Ela e Anita estavam conversando com alguns rapazes amigos de Thiago. Beberam um suco oferecido por Fernando e depois.... tudo se apagou.
Sentindo dor na região genital, instintivamente levou uma mão entre as coxas e buliu os lábios com os dedos e percebeu alguma coisa viscosa no meio deles. Ainda atordoada, pode ver os dedos, a um palmo do rosto, manchados de sangue. O choque a fez despertar de vez e assustada, arregalar os olhos e percebeu que estava deitada em uma cama, totalmente nua. De um salto, ficou sentada sobre a cama e então o mundo veio abaixo para a jovem, viu Anita, adormecida e nua, estendida na beira da cama, com as pernas para do colchão e com manchas de sangue seco nos glúteos e coxas e horror dos horrores, Beth, sua outra prima, igualmente nua com um homem adormecido deitado por cima dela. A cena era por demais dantesca aos olhos da menina.
O homem com cabelos brancos e acima do peso, esponjado entre a pernas de Beth, despido tinha as costas e até a bunda com muitos pelos. Tremendo e apavorada, começou a gritar tomada por histeria.
Com isso, o velhote acordou e saiu de cima de Beth. Talita viu toda a sua nudez, com o membro mole, ainda sujo e então entendeu que ele estava dentro da prima. Estarrecida, o viu olhar para ela, para Anita e para Beth e balançando o pau com uma das mãos, exclamar com voz rouca:
- Puta que pariu, menina! Valeu cada centavo que paguei para ter o privilégio de tirar o cabaço de vocês. Vocês três são deliciosas. Agora, vou tomar um bom banho e depois quero comer teu cu, de ti, só comi a buceta.
Talita ao ouvir o homem, levou as mãos para o meio das coxas e então com horror, percebeu o motivo da dor que sentia, fora estuprada pelo homem, assim como suas primas Anita e Beth. Mas como isso aconteceu? Ele falou que pagou para ficar com as três... pagou a quem? Por todos os santos, foram os amigos de Thiago.... eles as drogaram e... mas como...... Beth está ali?
Confusa, aterrorizada, aos prantos correu e abraçou a primas chamando e implorando que acordasse. Entretanto, tanto ela como Beth, ainda permaneciam drogadas.
Viu o homem retornar do banheiro da suíte e vir em sua direção, já com o monstro semi armado se sobressaindo de suas coxas cabeludas. Como um ratinho assustado pelo gato, correu para um canto e encolhida com os braços em voltas das coxas, soluçava em desespero, pois sabia o que ele queria dela.
- Venha, garotinha linda, venha para a cama que eu quero comer o teu rabo. Paguei a Olga muito dinheiro para ficar com as três e quero comer o teu cu agora, ante que ela venha dizer que o meu tempo acabou.
Talita toda encolhida no seu cantinho, tremendo de medo, nem se mexeu e então o homem a puxou pelos cabelos. Horrorizada a menina, se debateu e fez tudo para evitar ser levada para a cama. Mas o velhote, era forte e três vezes mais pesado que ela.
Aos berros, pedindo socorro, foi sendo arrastada com facilidade para a cama. Com a força do desespero, lutou como uma leoa, para evitar que fosse virada de bunda para cima como ele queria a posicionar. Meia dúzia de tapas e um soco na boca do estômago, quase a pois a nocaute e ele a colocou na beira do colchão, com as coxas para fora e os pés apoiados no tapete. Assim exposta, segura pela cintura com extrema rudeza, sentiu ele se intrometer entre suas coxas e a cabeça do membro, duro como ferro, forçar o seu anel anal.
A dor que sentiu com ele a penetrando, seco como estava, foi demasiado para Talita, que como um animal sendo abatido, aos berros, desmaiou. O velhote ficou por muito tempo bufando por cima da jovem, com os braços envolvendo os belos seios enquanto brindava as carnes macia dos ombros e pescoço com fortes mordidas, deixando as marcas dos dentes em toda ela.
Só voltou a consciência muito tempo depois, sendo abraçada por Anita e Beth, que se desbulhavam em choro. As duas primas, tinham acordado a tempo de ver o homem montado sobre ela, gemendo enquanto a sodomizava. Paralisadas pela violência da cena e acovardadas pelo medo, nada fizeram para ajudar a prima.
Viram ele gritar no auge do gozo e com o membro sujo se sangue, sangue de Talita, sair de cima dela. Em choque viram ele ir ao banheiro, se vestir e sair do quanto. Então, só então correram para ajudar Talita que permanecia desmaiada e ensanguentada, com metade do corpo sobre a cama.
Foram sequestradas por Thiago, Fernando e seus amigos e levadas para aquele lugar para serem abusadas. Elas não tinham noção de onde estavam e quem era aquele homem que as estuprou. Talita, com a mente confusa, se lembrou que o homem falou que tinha pago a uma tal de Olga para as estuprar. Quem seria esta mulher?
Beth, mais velha e já não sendo mais virgem, nem no olho da cara, procurava consolar as inexperientes priminhas, afinal de contas elas não passavam de umas fedelhas, que ainda não tinham quinze anos e se justifica todo o trauma que estavam experimentando pelo brutal e cruel estupro a que foram submetidas. Inconsoláveis as duas abraçadas não paravam de chorar.
Muitas horas depois, viram uma mulher negra entrar no quarto trazendo um carrinho abarrotado de bandejas e algumas jarras e deixá-lo ao lado da pequena mesa. O homem que a acompanhava ficou na porta, observando as jovens, que tinham vestidos algumas roupinhas.
Beth se dispôs a perguntar a eles quais os motivos de tudo quilo, de estarem trancadas naquele lugar. Porém o homem, um sujeito grandão, interrompeu as embrionárias indagações da moça, a mandando ficar calada.
- Cale a boca, mulher! Tratem de comer que depois a patroa virá conversar com as três.
Somente horas e horas mais tarde, a “patroa” chegou para falar com as meninas, se apresentou e o disse para elas, as deixou apavoradas.
- Boa noite, meninas. Meu nome é Olga e sou a dona deste lugar. A minha casa é um bordel bastante famoso por oferecer aos seus clientes, garotas lindas e jovens, nada de mulher velha e feia. Eu comprei vocês três por muito dinheiro, uma grana de respeito e pretendo recuperar com sobra tudo o investi em vocês.
- Espero que percam as esperanças de escaparem de minha casa, pois isso será inteiramente impossível. Ao contrário das outras garotas, vocês são minhas prisioneiras e daqui para a frente, a única função das três é receber com carinho os meus clientes especiais que selecionarei para as visitarem, só gente com muito dinheiro.
- Vocês ficarão confinadas nas suítes, lá no terceiro pavimento e terão todo o conforto que merecem e só poderão circular no terraço para apanhar sol e nada mais.
Desde já esclareço que não adiantará nada pedir ajuda aos clientes, pois todos eles sabem que estão como minhas prisioneiras e que são mocinhas de famílias e não simples putinhas que se vendem neste mundo afora.
Durante a fala da mulher, a enorme e impressionante russa, as garotas ficaram como que petrificadas, recebendo cada palavra como se uma punhalada fosse. Era difícil de acreditar que em pleno século vinte e um, em pleno coração do país, ainda houvesse lugar como este, capaz de manter jovens como escravas sexuais. Entretanto era isso que estava acontecendo com as três primas.
0000000000000
O misterioso sumiço das três jovens primas, trouxe enorme sofrimento as suas famílias, que mobilizaram enormes quantias na tentativa de as encontrar. Toda a comunidade foi mobilizada e grande força tarefa se formou. Agora quatro meses mais tarde, as esperanças de as encontrar, ainda com vida foi se desvanecendo. Os órgãos policiais passaram a considerar que as belas jovens tenham caído nas garras de quadrilhas e levadas outros países para serem vendas como escravas sexuais. Nem podendo adivinhar que realmente elas foram vendidas para serem escravas do sexo, mas não para outro país e sim para um luxuoso bordel, localizado em uma cidade há pouco mais de quinhentos quilômetros da cidade natal das três jovens.
0000000000000
Talita, Anita e Beth, cada qual confinada em uma suíte, no terceiro pavimento daquele maldito lugar, já tinham perdido todas as esperanças de escaparem da escravidão a que eram submetidas, noites após noites. Só tinham descanso desta rotina odiosa de servir aos clientes de Olga, quando estavam nos períodos de menstruação. Só tinham um arremedo de liberdade, quando podiam se encontrar no terraço, durante os dias.
Anita, não sabe a razão, sempre recebia os mesmos velhotes e ninguém mais. Eram quatro fazendeiros amigos da região, que pagavam muito bem à Olga para que a garotinha só serviço a eles. Com o passar dos meses, já conformada, ela os recebia, para sua felicidade, somente poucas noites por semanas, duas ou três no máximo. Verdade que quando vinham dois ao mesmo tempo, ela sofria horrores, com dupla penetração.
Já Talita e Beth, não tiveram esta exclusividade, e durante as sete noites da semana, eram obrigadas a receberem clientes diversos, na verdade todos escolhidos a dedo por Olga.
Ela cobrava caro aos milionários que visitavam sua casa e ofereciam a eles as joias raras do bordel. Entretanto estes clientes especiais não eram tantos assim, principalmente com a concorrência de outros bordeis instalados recentemente na região. A partir daí suas galinhas de ovos de ouro, passaram a ter noites ociosas, sem ‘trabalhar”
Olga exultou de alegria quando soube que sua cidade seria sede de uma grande convenção de homens de negócios, do ramo de eletrônica. No terceiro dia da convenção, recebeu no seu bordel um grupo destes endinheirados. Gananciosa como sempre, ofereceu a alguns deles, o que tinham de melhor na casa, ou seja, Beth e Talita, que naquela semana somente por duas noites estiveram faturando para ela. Não podia ofertar Anita, “mercadoria” cativa dos quatros fazendeiros da região.
A noite de Beth foi “alugada” para um jovem empresário, que pagou muito dinheiro, incentivado que fora so ver a fotografia do estupendo corpo da jovem que lhe era oferecida.
A jovem foi avisada que deveria se preparar para receber um cliente especial, resignada com sua triste vida, tomou um banho e vestiu a camisola branca de tecido transparente e se deitou na grande cama a espera do sujeito.

0000000000000

João Henrique, desde que sua querida irmã sumira de casa, com as priminhas Talita e Anita, ficou muito abalado e sua vida de boêmio e mulherengo ficou renegada a segundo plano e passou a se dedicar com muito mais afinco a sua fábrica de eletrônico, ao lado de seus dois irmãos.
Agora, subia as escadas para se encontrar com a jovem de belo corpo que vira pela fotografia. Ao lado de uma atendente. Estranhou que a moça usou uma chave para abrir a porta do quarto. Então a mulher da foto, estaria trancada lá dentro?
João entrou e na penumbra do quarto, pode ver a beldade deitada no centro de uma cama redonda, o esperando.
Beth, ao ver o esbelto homem que chegava, ficou calma. Não teria de suportar nenhum velho barrigudo em cima dela, pelo menos nesta noite.
Ele se aproximou e a três passos da cama, pediu:
- Acenda a luz minha jovem, eu goto de ver o rosto da mulher com que vou me relacionar.
Beth estendeu o braço e pressionou um interruptor na cabeceira da cama e imediatamente todo o quarto de iluminou por completo.
Beth deu um grito estridente e pulou da cama ao ver bem ali, ao seu lado, o seu querido irmão mais velho, João Henrique.
Com um urro, ele se atirou em direção da irmã, que pensava em nunca mais ver e a abraçou com força, quase a sufocando.
Por quase uma hora, se abraçando carinhosamente, Beth narrou ao irmão, toda a sua odisseia, dela e das primas. Contou o seu caso com Thiago e como soube que os amigos dele tinham sequestrados Talita e Anita. Disse que ele foi o responsável por ela estar ali, que ele a vendeu como mera mercadoria para a dona daquele lugar e que as meninas também foram vendidas pelos amigos.
João Henrique escutou todo o relato da irmã e depois, pelo seu celular, entrou em contato com o doutor Robert, delegado da polícia federal, que se empenhou a fundo na busca das garotas desaparecidas. Seis horas depois, ao amanhecer do dia grande contingente de agentes da PF cercava o enorme casarão.
Momentos depois, João saiu do bordel, levando com ele as três primas, prometendo ao seu amigo Robert, que naquele mesmo dia, as levaria para exames e para prestarem depoimentos.
Em helicóptero fretado, em pouco tempo estavam pousando no aeroporto de sua cidade, que fervilhava com a boa notícia das jovens encontradas
Quando embarcaram no carro para chegarem em casa, grande cortejo de veículos se formou, e o som das buzinas se fez ouvir por todo trajeto.

Toda a quadrilha infernal que aliciava jovens virgens para serem vendidas como escravas sexuais foi desmontada, inclusive a maioria dos clientes, pois quase todas garotas eram menores de idade e a pressão da sociedade foi demasiada e mesmo a maioria dos canalhas serem gente de dinheiro, nada adiantou e todos foram devidamente enquadrados. Algumas das sequestradas, também eram filhas de famílias ricas, a exemplo de Beth, Anita e Talita, estas de bilionários.

FIM

A saga das primas continua no conto: O clube ABT (Anita, Beth, Talita)

Sobre este texto

Marcela

Autor:

Publicação:12 de maio de 2018 16:11

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:BDSM

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 12/05/2018.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • Marcela
    Postado porMarcelaem17 de maio de 2018 10:02

    Aos meus leitores
    Podem ficar sossegados, este conto terá continuação em breve

    Obrigada

    Marcela

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*