Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

O GUARDA FODEDOR

Meu cu ainda tá ardido, pois aconteceu há pouco. Hoje o dia foi cheio no trabalho, estava completamente exausto que nem tirei o paletó pra ir pra casa. Saí por volta de 18:30h e o trânsito estava um caos. Paro em um semáforo já próximo de casa, meu celular toca e era meu chefe precisando resolver algo de urgência. Acendi a luz interna no carro, falei algumas anotações que havia feito tirando as dúvidas dele e percebo um guarda de trânsito de olho pronto pra me multar. Desliguei o mais rápido que pude, mas ele já havia anotado minha placa. Dei a volta no quarteirão, estacionei e fui tentar tirar aquela multa, pois já tenho alguns pontos na carteira.
- Boa noite amigo, desculpa te incomodar, mas acho que você me multou e não posso levar multa alguma.
- Bom, falar ao celular é passível de multa companheiro. Está no código e você já deve saber. Falou de modo ríspido.
- Eu sei, mas era meu chefe e se não atendesse ele ia comer meu fígado.
- Isso não é problema meu.
- Pow amigão... Alivia essa, por favor. Não tem nada que eu possa fazer?
- Está tentando me subornar?
- Não, não. Claro que não. Só estou tentando uma forma de não ser multado. Cara tô fodido, cheio de pontos na carteira. Preferia levar pau no cu a tomar mais uma multa... Mas, se não tem outro modo, vai ter que ser assim mesmo. Obrigado.
Fui me afastando bufando de raiva por ter atendido ao celular. O guardinha me chama:
- Ei Doutor, o que você falou?
- Que pode multar, não tem jeito.
- Antes disso.
- Que não podia ser multado?
- Não. Você falou que preferia levar pau no cu em vez de multa.
Eu senti que fiquei vermelho e sem jeito falei:
- Cara é modo de falar.
- Ah é? Que pena... São 4 pontos na carteira.
- Isso é sério?
- Doutor, sou casado e tem que ser no sigilo, te alivio a multa e você cumpre o que falou. Faz um tempo que não curto um cu de macho, dando uma apertada no pau.
Olhei sem acreditar naquilo. O cara tinha por volta de 38anos, uns 1,78m, meio parrudo (daqueles que entram na academia, ficam fortes, param e engordam), moreno queimado de sol. Fiquei na dúvida se aquilo era real ou apenas uma jogada dele, e falei:
- Eu não curto essas coisas não.
- Ok. Seus 4 pontos estão lançados. Boa noite Doutor.
Percebi que era verdade e retruquei:
- Cara... Mas...
- Ou dá ou te multo. O pau dele já começava a marcar a calça e eu finamente acreditei.
- Moro há algumas quadras daqui se quiser ir lá...
- Passa o endereço que daqui a pouco largo aqui, mas não posso demorar.
Dei o endereço fui pra casa e tomei um banho rápido. Às 19:30h interfonam e autorizo a entrada. Estava vestido apenas de bermuda de futebol sem cueca quando ele toca a campainha. Ele já entra com o pau meia bomba visível na calça. Pergunto se ele queria algo e ele responde:
- Quero. Chupa meu pau.
Ficou em pé mesmo, arriou a calça e a cueca e o cheiro de pau suado tomou conta da sala. O pau dele tinha uns 18cm, cabeça pequena e ia engrossando até a base, torto pra direita, pentelhudo. Chupei o cacete de cima a baixo, não deixando o saco pesado sem ser lambido. Meu rosto ficou cheirando a pau e suor de macho. Ele gemia com a chupeta:
- Caralho, que boca gostosa, chupa melhor que puta.
Continuei mamando, até que ele segura minha cabeça e começa a foder minha boca, me fazendo engasgar, forçando a engolir tudo de uma vez:
- Engole a pica toda... Não reclama se não te multo em dobro.
Fodeu mais um pouco, me mandou ficar de 4 no sofá e começou a linguar meu cu enquanto tocava uma punheta de leve. A língua do cara parecia uma cobra forçando a entrada do meu cu, e vez ou outra, mordia e dava uns tapas na minha bunda. Dei um preservativo pra ele, que encaçapou o pau começando me comer.
Pedi pra ele ir devagar, mas parecia que não ouvia, só parando quando encostou o saco na minha bunda, me arrancando gemidos de dor. Começou a socar devagar e aos poucos foi aumentando o ritmo. Comecei a gemer mordendo minha mão, pois ainda doía, quando ele percebeu e falou:
- Isso Doutorzinho, geme na pica do guarda, geme gostoso.
Percebi q ele gemia mais, aumentando o ritmo e comecei a me punhetar. Ele socou mais alguns minutos e gozou metendo fundo. Gozei instantes depois. A camisinha estava cheia de porra, fazia um tempo que ele não gozava.
Ele se arrumou, disse que ia retirar a multa e quando precisasse dele era só chamar.

Se gostou, deixe seu comentário ou me escreva para [email protected] ou mrconfessador.blogspot.com
Grande abraço a todos.

Sobre este texto

Mr. Confessador

Autor:

Publicação:10 de março de 2016 22:46

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Gays

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 10/03/2016.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*