Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Presente de Aniversário

Presente de Aniversário
Era uma tarde chuvosa no meu vigésimo nono aniversário, eu olhava pela janela refletindo sobre a minha vida e em tudo o que eu havia conquistado até aquele momento. E contemplando minhas conquistas percebi que sem dúvida nenhuma, meu maior orgulho até aquele dia era ter conquistado a minha mulher Flavia, não apenas pelo seu belo corpo cheio de curvas, mas pela incrível companheira que encontrei para a minha vida. Ela realmente me ensinou o que é ser feliz, e como é bom ter uma mulher para cuidar e proteger. Nossa felicidade se completa ainda mais na cama, onde atingimos um incrível nível de conexão e prazer.
Mas meu momento de reflexão é interrompido pela vibração do meu celular, era uma mensagem dela como quem parece ter adivinhado que meus pensamentos estavam nela.
- Bruno que horas você vai sair daí? Vamos comemorar logo o seu aniversário meu amor, tenho uma surpresa para você hoje.
Começo a sorrir e imaginar o que será que ela está aprontando, olho para o relógio e ainda faltam 30 minutos para sair do trabalho, penso no que iremos fazer, provavelmente algum restaurante e depois o motel que costumamos frequentar confesso que adoro esses programas, ainda mais nos aniversários.
- Ainda faltam 30 minutos, quer que eu te busque? – Respondo sua mensagem e logo recebo novidades.
- Não hoje você vai me encontrar.
Fico perplexo com a mensagem e começo a me questionar; como assim me encontrar? O que ela está planejando? E onde ela irá me esperar? Envio outra resposta aflito.
- Onde eu devo te encontrar?
- Va para casa se arruma e me encontra no nosso motel querido, estou te esperando na suíte 14 e não demora – respondeu ela sem muita cerimônia.
Uma mistura de surpresa e ansiedade surgiu em meu peito, Flavia nunca havia tomado iniciativa dessa maneira, muito pelo contrário era sempre eu que criava as surpresas e decidia os lugares ou o que íamos fazer. Fico preocupado e minha cabeça se enche de possibilidades e imaginação. Então penso no que deve estar me esperando, minha linda esposa, cheia de curvas em alguma linda peça de lingerie cheia de fogo para mim, fico animado e volto a olhar para o relógio.
Ainda faltam 10 minutos, mas eu não aguento mais. Pego minhas coisas e vou para o meu carro, tento fugir do insistente transito da cidade sem muito sucesso, e a cada parada olho o celular esperando alguma novidade. Sem nenhuma mensagem nova resolvo me manifestar.
- Por que você não foi comigo?
- Anda logo e sem perguntas mocinho – responde ela em um tom de comando.
Outra atitude fora do comum, Flavia não costuma ser o tipo de mulher que comanda, fico intrigado mas resolvo entrar no seu jogo, afinal de contas ela não faria nada tão de errado, tenho plena confiança na minha esposa e se está se dando ao trabalho de fazer algo diferente devo aproveitar minha surpresa.
- Sim senhora – Respondo em tom de brincadeira enquanto enfrento um transito que parecia sem fim diante da minha ansiedade.
Me lembro de outros aniversários onde ela me fazia danças sensuais que me deixavam doido de tesão, ou quando ela simplesmente me mandava vídeos e fotos nuas para me provocar. Mas em nenhuma das vezes ela me esperou no motel, sempre fui buscar ela primeiro. Também me lembro que a suíte 14 tem um pole dance, onde ela já fez algumas performances sensuais que me deixaram doido e onde adorávamos ir, mas isso ainda não me dava alguma pista do que estava por vim.
Chego em casa e tomo um banho rápido me arrumo e sem pensar muito volto para o carro em direção ao motel onde ela me aguardava. E após dez minutos finalmente chego ao local tão desejado, e em tom de pressa digo a atendente:
- Suíte 14 por favor, minha esposa está me esperando nela.
- Sim senhor só apresente a identidade primeiro – A cada segundo na portaria vou ficando mais ansioso e com fogo para descobrir qual seria a surpresa.
- Prontinho, pode entrar – Finalizou a atendente, e eu sem hesitar fui direto para a garagem e em poucos segundos já estava batendo na porta ansiosamente.
De repente a porta se abre, e me deparo com uma visão que me enche os olhos, minha mulher está vestida com uma espécie de maio de renda vermelho bem justo, o que ajuda a delinear suas belas curvas. Flavia tem um par de seios pequenos e empinados que eu adoro, uma cintura fina e uma bunda bem grande e desenhada, além de suas coxas grossas que trajavam uma meia calça de renda na mesma cor do maio.
Mal pude admirar minha esposa e ela já se lançou em meus braços, começamos um beijo com muito fogo e tesão, eu sentia sua língua macia na minha boca se movimentando com paixão. E sem nenhum tipo de cerimonia minhas mãos passeavam por aquele belo corpo que já era tão familiar para mim. Rapidamente ela tira minha camisa com força e em seguida minha calça me deixando só de cueca. Aperto com força sua bunda grande, mas Flavia empurra meu braço e me joga na cama. Ela se vira pega uma venda preta e diz para mim;
- Agora vou te vendar um pouquinho.
- Como assim vendar? Para que venda amor - Pergunto sem entender muito bem.
- Não discuti comigo, quero te vendar antes de te dar seu presente – Disse Flavia com um olhar fixo e determinado, e sem me dar tempo de resposta já coloca as vendas sobre os meus olhos dizendo:
- Agora vou amarrar seus braços para você se comportar.
Fico receoso afinal de contas eu não gosto de perder o controle ou de estar em uma situação submissa. Mas como estava com a minha mulher resolvi aceitar suas ordens e aproveitar seja lá o que ela havia preparado para mim.
- Muito bem agora está com as mãos bem amarradas e não pode ver nada, está na hora de te dar o seu presente amor – disse Flavia alisando meu corpo e tirando minha cueca bem devagar.
Sinto sua mão segurando meu pau que tem um tamanho médio de 17cm e que já está pulsando de tão duro, o seu joguinho vai me contagiando com um misto de excitação e ansiedade, fico pensando o que ela irá fazer em seguida e meu pau volta a pulsar de tesão. Flavia percebe a ansiedade em meu corpo e diz.
- Relaxa amor tudo aqui é pensando no seu prazer.
Sinto sua boca chupando meu pau bem devagar, ela sobe e desce lambuzando meu pau com muita saliva, finalmente consigo relaxar. Estou amarrado e vendado mas sentir a presença da minha mulher e o boquete lento vai me tranquilizando. Logo percebo uma música suave ao fundo, não me lembro se ela já estava tocando ou não, sinto o ritmo do boquete acelerar na verdade bem mais rápido do que o de costume. A situação vai ficando mais calma e começo a me contorcer de prazer, quando de repente ouço bem perto do meu ouvido.
- Esta gostoso meu amor? – Mesmo vendado arregalo meus olhos de surpresa, o que está acontecendo ali, como minha mulher estaria me chupando e ainda sussurrando no meu ouvido ao mesmo tempo?
- Flavia o que é isso? Como você está falando e ... – Paro meu raciocínio pois a resposta é óbvia, tem mais alguém naquele quarto. Então mudo minha pergunta;
- Flavia, quem está aqui? – Pergunto já perturbado de tanta ansiedade.
- O seu presente meu amor – Responde Flavia no meu ouvido e em seguida retira minha venda.
Olho imediatamente para o meu pau e vejo uma jovem de cabelo castanho o chupando em ritmo bem acelerado. Volto meu olhar para Flavia como quem está pedindo uma explicação.
- Como assim? Você tem certeza – indago com a voz tremula com uma mistura de hesitação e excitação.
- Estou louca para realizar isso com você meu macho, agora quero que você assista um show particular.
Flavia se levanta e fica cara-a-cara com sua convidada, elas se olham por um instante e então começam a se beijar devagar. Ela olha para mim bem safada enquanto o beijo rola, ela sabe o quanto eu fantasiava em ver a minha mulher beijando outra mulher, e essa provocação começa a me excitar ao extremo. Elas se levantam da cama e percebo o corpo da jovem moça, ela tinha aproximadamente a mesma estatura que a minha esposa, a pele clara também, seus seios eram médios e a bunda bem pequena, percebi que usavam a mesma roupa, mas a convidada estava de preto. Elas não paravam de se agarrar e a situação foi pegando fogo, Flavia começa a tirar o maio de sua convidada aos poucos e desce até os seios dela que já estavam a mostra, os abocanha com ferocidade e começa a chupar seus mamilos que eram médios e marrom, já a moça começa a apertar forte a deliciosa bunda de minha esposa com a mesma força e intensidade.
- O que acha desses peitos amor? – Diz Flavia com aquele olhar safado que me deixava doido.
- É lindo amor, chupa ele mais que eu estou amando.
- Você não imagina como é uma delícia chupar eles – completa Flavia abocanhando o outro seio da jovem e chupando e apertando os dois ao mesmo tempo sem tirar os olhos de mim.
Começo a ficar louco com a cena, minha mulher mamando como uma louca os peitos de outra mulher e me provocando. Meu pau fica rígido, e me vem uma vontade gigante de me masturbar, mas com as mãos presas não posso fazer isso.
- Agora vou te mostrar outra coisa amor – Diz Flavia virando a moça para mim e finalmente tirando seu maio.
- O que você acha dessa bunda meu amor? – Minha esposa pergunta apalpando a bunda de sua convidada para me provocar.
- Parece ser uma delícia amor – Digo já doido com a cena.
Flavia se vira para a convidada, e ela começa a retirar o maio da minha mulher revelando seu maravilhoso corpo jovem, um belo par de seios empinados e rosadinhos, sua bunda grande completa o desenho dessa obra de arte.
- E dessa bunda você gosta safado? – Pergunta Flavia ainda em tom de ironia, afinal de contas ela sabe o quanto eu adoro aquele rabo delicioso, e o quanto gosto de comer ela de quatro para poder assistir aquela bunda balançando para mim.
- Você sabe que eu amo ela amor – Respondo já desesperado para saber qual seu próximo movimento.
Flavia se deita aos meus pés na cama, sua companheira deita por cima dela e começam a se beijar novamente, com direito a muitas mãos passeando entre elas. Meu corpo começa a estremecer de prazer, meu pau já pulsa ferozmente como se fosse gozar, eu não acredito no que meus olhos estão vendo, minha fêmea, mulher e companheira se deliciando com outra mulher. A fantasia vai tomando conta de mim e já não consigo mais pensar.
A jovem desconhecida então resolve descer com a boca pelo corpo da minha mulher, e rapidamente atinge sua bucetinha. Posso ver a quão inchada e molhada ela está, mas como seria possível isso? Minha mulher sempre foi conservadora e sempre demonstrou aversão a outras mulheres, mas aquilo parecia ter mudado. Flavia estava completamente entregue e se contorcia de prazer com a boca de sua convidada a explorando. Eu podia sentir a excitação e o prazer que minha mulher estava sentindo ao receber o toque delicado de outra mulher, e aquilo me enlouquecia.
- Aí que delicia essa boca – resmungou Flavia baixinho já revirando os olhos.
- Está gostoso amor? – Pergunto em tom provocativo tentando conter minha excitação.
- Sim meu homem, está maravilhoso, ai eu vou gozar! – Flavia solta um urro de prazer e grita agora olhando para mim;
- ESTOU GOZANDO! Estou gozando na boca dela amor – Grita Flavia sem desviar o olhar de mim.
Ficou louco de tesão e de vontade de participar daquilo, mas ainda preso resolvo tentar me acalmar. Meu pau pulsa sem parar e já estou com vontade de gozar. Vejo Flavia se levantando e pegando um vibrador na sua bolsa, me lembro que eu mesmo comprei aquele vibrador para ela.
- Agora vou brincar com ela amor, o que você acha? – Pergunta Flavia olhando para mim.
- Eu vou adorar amor – Respondo sem pensar muito bem, minha excitação já não me permite raciocinar muito, preciso agarrar ela e fazer sexo bem safado como a minha mulher adora.
Flavia pega o vibrador e começa a passar na bucetinha de sua convidada, ela passa por todas as extremidades e enfia bem devagar na jovem, que solta um gemido de prazer.
- Que gostoso Flavia – Diz a jovem falando pela primeira vez desde que eu estava ali.
- Está gostoso safada? Vou melhorar para você – Flavia se inclina e enquanto enfia o vibrador na moça, lambe seu clitóris devagar.
- Aí que delicia Flavia – Sua convidada se revira de prazer e segura o cabelo da minha esposa.
Flavia enfia com força o vibrador e chupa a bucetinha bem rápido, ela estimula sua companheira com muito fogo, parece estar aproveitando aquela sensação de poder e domínio.
- Está querendo gozar safada – Pergunta Flavia levantando a cabeça e olhando para sua convidada que se contorcia na cama bem na minha frente.
Um instinto animal toma conta do meu corpo, minha excitação explode e eu tento me libertar das algemas, faço força com as mãos e me impulsiono para a frente. A cabeceira da cama estala bem alto assustando Flavia e a jovem moça com o barulho.
- Está querendo participar meu safado? – Pergunta Flavia sorrindo para mim.
Ela olha para a jovem e as duas fazem sinal de positivo com a cabeça. Elas veem em minha direção engatinhando na cama como duas leoas em caça, meu corpo se arrepia, o que elas iriam fazer em seguida?
- Acho que já te torturei bastante né meu amor? – Diz minha esposa sorrindo para mim e já pegando meu pau com toda a propriedade que ela tinha sobre ele.
Flavia começa um boquete sensacional como só ela sabe fazer, sobre e desce apertando meu pau e chupando a cabeça com muita pressão. Fico louco de vontade de gozar, sinto um tesão que nunca senti na vida, mas aquilo ainda melhorou quando sua convidada chegou bem perto e começou a lamber as laterais do meu pau bem devagar.
- Que delicia amor – Minha voz falha de tanto prazer, aquela visão está além dos meus desejos, duas belas fêmeas disputando meu pau com a boca enquanto me levam aos céus.
Flavia desce um pouco e começa a chupar minhas bolas, enquanto sua parceira assume o boquete na parte de cima, as duas trabalham no mesmo ritmo e aquelas bocas quentes fazem com que meu pau pulse ainda mais. Tento mover meus braços mais uma vez sem sucesso, Flavia olha para mim e diz;
- Está gostando desse boquete amor?
- Sim amor está perfeito – Respondo já tendo que me controlar para não gozar.
O boquete continua e vai me deixando mais doido, a cada segundo meu pau pulsa com mais força enquanto as duas mulheres o chupam sem pausa, sinto o gozo chegando, mas não quero gozar ainda, aquela sensação é muito boa. Minha mulher percebe meu descontrole então pega meu pau e aperta forte, algumas gotas de porra deslizam pela mão dela e sem cerimônia ela lambe tudo dizendo;
- Está querendo gozar né meu amor, deve estar gostoso mesmo. Mas ainda quero te torturar mais.
Flavia Fica de costas para mim de quatro na cama, vem de costas até sentar no meu pau todo babado e a ponto de explodir. Sinto sua bucetinha quente se abrindo e adoro a sensação de estar entrando na minha mulher daquele jeito.
- Que pau gostoso meu homem tem - Diz Flavia olhando para trás.
Sua companheira fica do meu lado abrindo a bunda de Flavia enquanto ela sobe e desce em ritmo acelerado. O sexo está maravilhoso, sinto muito tesão e tento me soltar das algemas novamente para pegar minha mulher de jeito, mas novamente só consigo fazer a cabeceira estalar.
- Ele está querendo sair Flavia – Diz a convidada sorrindo para minha esposa.
- Ainda não amorzinho, eu estou no comando hoje – Diz Flavia sem olhar para mim.
Reclino na cama para poder meter com mais força, quero pegar minha mulher, quero foder ela do jeito que ela gosta. A convidada começa a dar tapas na bunda dele o que me excita ainda mais. Aquela bunda deliciosa subindo e descendo rápido, balançando do jeito que eu adoro, mas eu quero mais, eu quero o controle da penetração, quero meter na minha mulher como eu sei que ela gosta.
Flavia sai de cima de mim depois de já ter sentado muito, ela olha para sua convidada e fala;
- Chupa mais o pau dele – Seu tom é de ordem e sua companheira aceita sem hesitar.
Ela fica de joelhos na cama e chega bem perto de mim, começa a me beijar o pescoço e a passar suas mãos pelo meu peito e braços enquanto sua convidada chupa meu pau novamente.
- Isso está muito bom meu amor – Digo esperando ela chegar até a minha boca, quando começamos um longo beijo.
Flavia sorri para mim, em seguida fica de pé na cama, e coloca sua bucetinha na minha boca, e eu sem pensar começo a lamber e chupar ela. Começo com calma chupando sua bucetinha e lambendo todo o mel de safadeza que sai dela, aos poucos vou subindo até chegar em seu clitóris. Eu adoro chupar minha mulher e me mantenho em um ritmo rápido me lambuzando naquela buceta lisinha.
- Aí amor vai assim que eu vou gozar na sua boca – Diz Flavia com a voz tremendo de prazer.
Adoro quando ela goza na minha boca e acelero ainda mais o ritmo, quero ver ela tendo um orgasmo assim. Enquanto isso a jovem chupa o meu pau do começo ao fim, ela lambuza ele por completo fazendo muito barulho o que também me excita.
- Estou gozando meu amor, sua mulher está gozando safado – Diz Flavia se contorcendo na minha boca e apertando meu rosto com suas pernas grossas.
Em seguida ela sai do meu rosto e senta na cama para tomar folego, sua parceira segura o meu pau e olha para ela como quem espera uma nova ordem, mas Flavia não demora para dizer.
- Continua chupando, eu não mandei parar – Sua foz está ofegante, ela acaba de ter um belo orgasmo e está se recuperando, mas continua no comando de sua convidada que volta a chupar o meu pau em ritmo acelerado.
Minha excitação está no limite, minha mulher gozando me deixou doido, e com um boquete incessante da jovem garota vou chegando ao meu limite novamente. Sinto que não vou aguentar muito tempo e digo;
- Vou acabar gozando assim amor – Flavia entende meu alerta e responde
- Ainda não safado – Ela puxa sua convidada para trás fazendo com que ela fique de pernas abertas na minha frente. Posso ver sua bucetinha molhada já aberta, ela era bem maior que da minha esposa. Flavia tem uma bucetinha pequena, escondida e bem rosada. Já sua convidada tinha uma buceta maior e mais escura.
- Gosta de ver essa bucetinha? – Pergunta Flavia me provocando novamente. Ela começa a masturbar a jovem enfiando dois dedos em sua buceta e chupando o bico do seu peito. Toda aquela cena acontecendo ali bem na minha frente, meu pau volta a pulsar e eu começo a pensar até quando ela vai me torturar assim?
Flavia para por um instante e sai da cama, ela pega algo em sua bolsa novamente e retorna, pelo barulho em sua mão percebo o que é, a chave daquela maldita algema que me prende.
- Está na hora de te soltar meu homem, mas lembre-se que eu estou no comando hoje você concorda? – Pergunta Flavia com um olhar direto.
- Claro amor – Respondo com sinceridade, afinal de contas ela está fazendo tudo muito melhor do que eu jamais imaginei.
Flavia solta os meus braços que já doíam por tanto tempo elevados, ela deita ao lado de sua companheira e me chama com o dedo. Eu deito sobre a minha mulher e enfio meu pau nela novamente, agora com o controle dos braços me sinto mais dominante e meu fogo sobe como o de um animal.
- Que delicia amor me come assim que eu adoro - Diz Flavia em uma mistura de ordem e gemido.
Começo a meter bem rápido como minha mulher gosta, vou metendo sem parar com toda a minha força, sinto sua bucetinha sendo arrombada pelo meu pau inchado de tanto tesão, sinto que ela está abrindo já no seu limite. Flavia geme alto e grita;
- TO GOZANDO DENOVO AMOR, AI CARALHO! – Fico louco com aquilo e começo a meter mais forte enquanto minha esposa tem um orgasmo gigantesco. Sinto uma dor profunda nas costas, percebo que Flavia está cortando elas com suas unhas, que mais pareciam garras de um animal enlouquecido.
- Nossa que delicia – Diz a garota que estava deitada ao lado de Flavia com um olhar de tesão.
- Nossa amor gozei tão gostoso agora – Diz Flavia com os olhos fechados.
Eu me levanto, estou completamente suado, vou até o frigobar e pego uma garrafa de água, começo a beber para me acalmar e observo minha mulher completamente largada na cama. Sua jovem amiga alisa seu corpo e apertava os seios da minha esposa. Respiro fundo e ofereço água para elas.
- O que vamos fazer agora? – Pergunto enquanto elas se hidratam. Flavia começa a rir e responde;
- Calma homem deixa eu me recuperar desse orgasmo.
Flavia se levanta novamente, guarda a garrafa e vai até sua bolsa. Ela pega um pacote e volta para a cama, fico imaginando o que mais ela estava fazendo.
- O que você acha que vamos fazer agora? – Pergunta Flavia olhando para mim
- Não sei amor, você está no comando hoje.
- Acho que deveríamos fazer nossa convidada ter um orgasmo também não acha? – Pergunta Flavia me olhando
- Claro eu também acho amor – Digo sem entender como exatamente vamos fazer aquilo.
Flavia encosta na cabeceira da cama por trás de mim, e manda a jovem garota deitar no meu peito onde ela pudesse alcança-la. E então já no meu ouvido diz;
- Masturba ela gostoso igual você faz comigo safado.
Eu atendo prontamente, começo a masturbar a garota com a minha mão direita. Flavia segura o meu pau também com a mão direita e começa a masturba-lo bem gostoso, com o braço livre Flavia pega minha mão esquerda e coloca no peito da garota que já se contorce de prazer nos meus dedos.
- Gosta de apertar esses peitos né safado? – Pergunta Flavia para mim, ela sabe muito bem a tara que eu tenho por peitos, e que sem dúvida gostaria de apertar aqueles.
- Sim amor estou adorando – Respondo com a alegria de uma criança que ganha um brinquedo novo.
- Seu safado, aperta ele, pode chupar seu cachorro - Diz minha mulher no meu ouvido me levando a loucura com aquela cena.
Chupo um peito da convidada e o aperto bastante, ela geme bem gostoso ainda deitada no meu colo. Eu a masturbo bem devagar, estimulo seu clitóris e por vezes enfio o dedo da sua bucetinha molhada.
- NOSSA TO GOZANDO – Grita a jovem moça nos meus braços, minha mulher fica louca de tesão e me arranha novamente enquanto faço aquela garota gozar.
- Isso amor faz essa putinha gozar – Diz Flavia ainda no meu ouvido e apertando o meu pau em uma punheta feroz.
Eu estou maravilhado com tudo aquilo, ter duas mulheres na cama é um sonho comum entre os homens, mas estar com a minha mulher e uma convidada era muito mais do que perfeito. Sinto a excitação das duas mulheres e me sinto incrível por aquilo, meu pau continua pulsando de tesão e minha vontade de gozar está dez vezes maior.
Flavia se deita ao lado de sua convidada e eu fico de joelho na frente das duas, os dois pares de pernas abertas me deixam completamente louco, e eu quero gozar em cima daquelas duas belas mulheres. Enquanto me masturbo vendo aquela cena, Flavia volta a beijar a garota e aperta seus peitos para me provocar.
- Gozou gostoso safada? – Pergunta Flavia para a garota que responde.
- Muito gostoso, ele sabe mesmo como masturbar uma mulher – Responde a jovem
Flavia se vira para mim e diz;
- Vem me comer mais amor, quero mais o pau do meu macho na minha buceta.
Eu não hesito, deito sobre ela e já enfio meu pau com muita foça na minha mulher. Enquanto estou fodendo minha esposa sua convidada começa a se masturbar bem do nosso lado.
- Que pau gostoso amor, fode mais minha buceta – Flavia segue gemendo e me arranhando como já era de costume para mim.
Continuo metendo na minha esposa por um bom tempo e cheia de tesão ela começa a se masturbar novamente. Em poucos minutos ela solta outro urro e me avisa novamente.
- Estou gozando de novo amor, estou gozando para você safado – Flavia goza pela terceira vez e suas pernas começam a tremer.
- Nossa que gostoso amor – Diz Flavia me dando outro beijo. Em seguida ela se levanta e vai até a cabeceira da cama onde havia deixado um pacote.
- O que você vai fazer? – Pergunto ainda louco para gozar e feliz por ver minha esposa tão cansada.
Flavia volta e me mostra o pacote, era uma camisinha XL (Extra Larga), costumo usar esse tamanho pois meu pau é bem grosso. Ela abre o pacote de vagar, retira a camisinha e cospe nela.
- Para que isso amor? – Pergunto novamente já imaginando o que ela iria fazer.
Minha esposa coloca a camisinha no meu pau e desce ela até a base, ela aperta meu pau com força e passa bastante saliva nele. Sem falar nada Flavia abre a perna de sua convidada e aproxima meu pau dela.
- Está na hora de te dar o presente completo safado – Diz Flavia com um olhar de dominação.
Flavia abre a buceta da sua convidada e vai enfiando o meu pau nela bem devagar. A situação me enlouquece, não imaginei que chegaria a tanto, fico louco de tesão e começo a meter nela sem tirar os olhos da minha esposa que agarra minha cabeça e começo outro beijo safado.
- Come essa puta meu homem, eu sei que você está louco para fazer isso – Diz Flavia no meu ouvido com a respiração ofegante por ter acabado de gozar.
Seguro a cintura da jovem e começo a meter com força, ela revira os olhos e começa a gemer alto. Flavia fica do meu lado me beijando e ordenando que eu fodesse sua convidada, a excitação é enorme e minha vontade de gozar aumenta e muito.
- Que delicia Flavia está muito bom! – Diz a garota também ofegante.
- Está gostando safada? – Flavia parece estar no mesmo estado animal que o meu, e só quer ver sua convidada tendo prazer. Ela me manda meter mais rápido e com mais força, e em seguida começa a masturbar o clitóris da garota que se contorce inteira.
- AI QUE DELICIA, TO GOZANDO FLAVIA, QUE GOSTOSO – A jovem tem seu segundo orgasmo e se contorce inteira de prazer.
Flavia olha para mim e pergunta;
- O que você quer fazer agora amor? – Ela e sua parceira parecem estar cansadas, fico feliz ao ver aquela cena, pude “dar conta” de duas mulheres que agora já estavam cansadas, mas eu era o contrário. A pesar do cansaço físico meu fogo falava mais alto e eu queria gozar.
Levanto para fora da cama e posiciono as duas de quatro na beirada da cama, meu pau continua pulsando e muito duro ao ver aquele par de bundas gostosas ali a minha disposição, meu ego se engrandece e a vontade de gozar já é tremenda.
- Vai meter em quem assim safado? – Pergunta Flavia olhando para trás e rindo com a minha iniciativa.
- Nas duas – Eu respondo me posicionando entre as pernas da convidada, e começo a meter nela com força.
- Nossa está gostando de comer ela hein, já estou ficando com ciúmes – Diz Flavia em tom de brincadeira.
- Calma amor, você já é a próxima – Digo sorrindo sem parar de meter com força.
Tiro o pau da convidada e vou atrás da minha mulher, nem me lembro de tirar a camisinha e começo a meter naquela buceta deliciosa com toda a minha força. Meto bem fundo e escuto os gemidos da minha mulher ficando mais intensos.
- Agora vou voltar para essa safada – Digo voltando para a convidada que ainda estava com as pernas tremendo. Começo a meter com muita força e fico alternando entre as duas. Fico metendo muito rápido e com muita força nas duas até onde eu aguento.
Volto para a bucetinha da minha mulher, alternando rapidamente percebo que ela é muito mais apertada do que sua convidada e minha excitação vai se transformando em um orgasmo.
- VOU GOZAR! – Grito como um alerta e rapidamente as duas se viram para mim.
- Goza na nossa cara amor, goza meu macho – Diz Flavia observando meus movimentos.
Eu chego ao meu clímax, meu pau está pegando fogo, tiro a camisinha em um só movimento e a porra jorra do meu pau muito quente e como um jato atinge o rosto da minha esposa, o segundo disparo sai mais fraco e vai direto no rosto da sua convidada. Um terceiro e um quarto jato também saem, ambos na minha mulher que bebe um pouco e começa a beijar sua convidada com meu esperma na boca.
Solto um último urro de prazer, aquele foi sem dúvida o melhor e maior orgasmo da minha vida. Caio na cama sem movimentos e totalmente satisfeito, enquanto minha mulher e sua convidada se levantam e vão se limpar no banheiro. Fico ali deitado sem acreditar no que acaba de acontecer, me parece que estou em um sonho perfeito. Estou sem energia e só consigo olhar para o meu reflexo no espelho de teto do motel.
- Está tudo bem aí amor? – Flavia pergunta do banheiro.
- Esta sim ... Amor! – Respondo com o que me sobrou de fôlego.
Fico mais de vinte minutos ali me recuperando, sem me mexer, até que as duas finalmente saem do banheiro e se aproximam de mim.
- Nossa você está deitado ainda amor – Diz minha mulher rindo da minha situação.
- Vocês acabaram comigo – Respondo sorrindo também.
A convidada já está vestida, parece pronta para ir embora. Flavia está apenas de calcinha e parece estar se despedindo de sua convidada.
- Bom agora eu tenho que ir Bruno, mas foi um grande prazer, bem que sua mulher me disse que você era bom de cama – Diz a convidada olhando para mim.
- Ah! Obrigado pelo elogio, você foi muito bem também – Agradeço sem graça pelo comentário.
Flavia dá risada da minha timidez e leva a sua convidada até a porta, elas se despedem e a jovem garota acena com a mão para mim, eu respondo com o mesmo aceno e ela vai embora.
Agora só estamos eu e minha esposa no quarto. Ela vem em minha direção e eu estou extasiado com a sua imagem. Nunca imaginei que minha mulher fosse capaz de algo tão safado assim para me presentear. E muito menos que seria tão confiante e decidida mesmo com outra mulher presente. Não sei exatamente o que falar para ela, nem como devo agir depois de tudo isso.
- Gostou do seu presente de aniversário? – Pergunta Flavia com olhar caridoso.
- Foi o melhor da minha vida amor – Respondo me sentando na cama e abraçando ela.
Não há palavras no mundo para descrever minha alegria naquele momento, não apenas por realizar uma fantasia tão comum entre os homens, mas por ter realizado com a mulher que eu amo e por ter visto ela se deliciando na minha fantasia como se fosse dela também. Gosto de lembrar desse dia como o melhor aniversário da minha vida.

Sobre este texto

Oliver

Autor:

Publicação:9 de abril de 2016 14:38

Gênero literário:Depoimento erótico

Tema ou assunto:Encontro a Três

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 09/04/2016.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • Digo
    Postado porDigoem1 de junho de 2016 21:14

    Sem dúvida um dos melhores contos que eu já li!!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*