Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

DO BAR PRO SEXO³

Sou de fortaleza no ceará u cara normal bem simples de aparência bem simplória, nada de olho azul verde loiro atlético, apenas um cara normal, casado filhos e eventualmente trabalho em bares e eventos como barman, o que vou relatar agora aconteceu no ano de 2015 quando fui fazer uma extra em um bar aqui da cidade, que já estava com certo tempo eu andava trabalhando sempre as sextas na madrugada; como sempre cheguei as oito e fui ajeitando o que tem no bar pra ele abrir com uma banda tocando pra animar, la por volta da dez da noite já começa a fica lotado com pessoas que na sua maioria compram cervejas e poucos drinks; apenas diversão e bebedeiras.
dia normal sem nada diferente comigo e meu parceiro de trampo um cara que ao contrario de mim pegava todas as gatas e até umas meio sem graça que aparecia por ali sem ninguém, o cara bonitão das tapiocas; eu ali no meu lugar fazendo a caipiroska quando escuto algo que pouco se ouve ali.
- quero uma dose de jack sem gelo apenas o jack.
no mesmo instante olhei pra ver quem era, pois jack puro e pra uma mulher fiquei pasmo, uma ruiva bem gostosa de curvas boas cara de quem sabia o que faz, pegou o jack tomou de uma vez só e saiu perguntando.
- o que foi nunca viu uma uma mulher assim?
- não aqui, só as que andam comigo e amigos!
aquilo realmente me deixou parado na dela, sou um fã de jack daniel´s e gosto de ver as pessoas tomando; fui trabalhar mais um tempo e ela voltou outra vez, desta vez por volta d ameia noite tomou outra vez um jack e olhou pra mim com cara de devoração, fiquei olhando se ela olhava pra mim ou pra flyp que é o que sempre acontece, mas ele veio e disse que não curti ruivas e disse que certamente era pra mim aquele olha sedutor. bem fui trabalhar que era melhor, pois aquilo de sair com mulheres era tão raro que nem me animei, tempo depois quase uma da manha ela voltou e perguntou que horas eu saia dali, assim na lata sem fazer voltas, eu disse que as três no máximo três e meia, ela disse que queria conversa comigo em algum lugar ali perto; não tive como fica tranquilo quando o movimento diminuiu por causa do termino da banda e do horário fui abastecer as cervejas na geladeiras e pedi a Flyp que me liberasse as três em ponto pra ir falar com ela, e assim foi feito as três horas sai do bar e fui pra esquina espera por ela confesso que estava nervoso com o que ela ia falar se algo relacionado a sexo ou sei nem o que pensar, mas ai veio a triste surpresa, ela vinha adano de mãos dadas com um cara alto tipo atlético bonito o tipo cara que eu tinha vontade de ser, aquele tipo que chama a atenção só por esta ali, e eu ali com a cara no chão pensando o quanto fui otário de sair pensando que uma gata daquelas ia querer algo comigo, mas ela veio e tudo parecia normal pra eles.
-vamos conversa no posto aqui na avenida, queremos muito mesmo falar algo bem serio com você.
foi assim que ela chamou pra irmos pra tal conversa, fui meio desconfiado, mas curioso fui; afinal não tinha nada pra perde. chegando lá ela veio com um assunto que sempre saia com seu esposo e tudo mais pra conhecer pessoas e que gostava de pessoas diferentes, que não procurava por nada especial que até preferia meu amigo do bar mais que acho algo em mim e por isso estava ali, foi falando bla bla bla... até dizer algo que me deu uma atenção especial.
-meu marido e eu não transamos mais da forma convencional, ele gosta apenas de olhar o lance que tenho com outros caras e as vezes mulheres, mas ele curti apenas mesmo só olhar e fica perto.
cara aquilo ali foi uma injeção de animo desejo misturado com tudo, fiquei olhando pros dois sem saber o que dizer, apenas disse que sim quando me chamaram pra ir pro seu AP ali perto, fui no carro atras do deles meio desconfiado, chegando lá fiz questão de deixa o carro fora na frente da portaria, quando me chamaram pra entra pedi o porteiro qu eme desse um toque as sete, pois tinha que volta pra casa. subi com um jeito voado sem falar nada e olhando pra ruiva sem saber o que pensar em fazer primeiro. ela falou seus nomes e idade e eu também. Vanessa, mas pode me chamar de VANY, ele TOM, ela 38 anos de gata sem medo e ele bem 43 e sem jeito de gay.
chegamos em seu lindo AP coisa de quem tem dinheiro mesmo, conversamos um pouco mais e fomos beber um jack que ali estava pra descontrair, nisso TOM me falou que não tinha mais desejo sexual por um motivo de acidente de moto que a uns anos deixo com dificuldades motoras, mas que aos poucos foi melhorando, só que aparentemente não tinha seu membro totalmente ereto, e pra não deixa sua mulher no vazio aceito esse lance dela desde que ele ficasse de perto apreciando tudo, falou isso enquanto VANY foi ao banheiro e do nada ela apareceu, nua molhada e dizendo.
-vem aqui mostra o que você sabe!
eu fui peguei seu corpo com ela de pé e eu abaixado e fui lambendo seu belo traseiro que eu tava louco pra lamber suculento tipo atris porno, mete a cara lambia chupava e não queria para, horas estava lambendo seu belo cu horas sua linda xota, algo sem igual sem palavras, coloquei ela deitada na mesa e continuei lambendo sem pena da minha linguá, mas algo aconteceu e me deu um medo grande, senti uma coisa estranha no meu cu, era a linguá de tom que ele meteu sem dó e começou uma coisa meio doida, eu ali sem saber o que fazer até que VANY falou.
-deixa você não vai querer para agora? é só com a linguá ele não faz nada mais que isso eu garanto.
na hora fiquei em uma mistura de medo com tezão uma coisa louca, ele empurrava a linguá como se fosse uma pica dentro do meu cu, lambia minha bolas e voltava a mete a linguá. (quero saber de algum gay, se pelo fato de eu não ter parado ele de ter permitido, de até ter gostado do carinho dele no meu rabo, eu sou gay? tenho instinto homossexual? alguém que saiba me de um toque ai) ele puxava meu pau pra trás e chupava feito mulher lambendo a cabeça fazendo tudo de bom, foi ai que comecei a socar fundo e gostoso em VANY puxando pelos seus lindos cabelos ruivos, dando palmadas em seu belo traseiro, cara aquilo ali foi a transa, quando fui gosar já estava com aquele jeito de quem vai encher a gruta de porra, TOM puxou meu pau pra fora tirou a camisinha e sugou a porra toda, foi em direção a VANY e deu um longo beijo, ele ficou ali me chupando pra deixa meu pau duro outra vez, e eu acariciando os seios de VANY, beijando sua boca, chupando sua bela xota, e começamos outra sequencia de sexo sem medo,claro que tom foi participante, agora pelado com uma pica de 22cm meia mole pra fora, mas uma pica de dar inveja, a minha com 18cm, mas eu ali duro metendo fundo até falar no ouvido de VANY que ia soca no cu, ela só fez colocar as mãos na bunda abri e pronto tava lá dentro. cara eu nunca gozei tanto como foi naquela madrugada, o dia nascendo e nos fudendo, quase as seis já cansados paramos e fomos conversar mais, TOM abriu o jogo dizendo que depois de ter tentado de tudo com mulheres e VANY sabendo, foi até em saunas gay pra saber como era o lance, mas nada de fica de pau duro, pegou um travesti transou com ele e sua gata e nada também, mesmo dando o cu não ficava de oau duro ou gozava, ai certo dia na DONASANTA viu um casal gay se acariciando e viu a cena que não sai da cabeça, um lambendo o cu do outro dando gozadas generosas e fartas, quando ele chegou em casa percebeu que tinha gozado, foi então que começou a fazer isso, e agora mesmo com o pau meio mole ainda, gozava, sempre saiam com homens, mas poucos deixavam ele fazer isso, agradeceu por eu ter deixado e marcamos outra saida, quando percebi a garrafa de jack estava quebrada no chão, acho que foi na hora da loucura; levei essa garrafa de lembrança da noitada e a tenho guardada em casa.
ainda saimos mais duas vezes, mas eles disseram que não curtem fica com as mesma pessoas, que gostam de conhecer outros, então foi só essas vezes e ainda vi TOM ejacula uma farta porra em cima das minhas pernas enquanto eu chupava o cu de VANY, mas foi só. nunca contei nada pra ninguém e sempre penso que em algum bar que eu vá fazer uma extra vai aparecer alguém querendo algo fora do comum com um cara comum, ainda em momentos furtivos vem o pensamento que sou gay por ter deixado e gostado da linguá no meu cu, não sei e nunca mais rolou, apenas penso nisso e no fato que em um momento da vida, fui responsável por um cara bonitão gozar; hoje trabalho aos fins de semana em outro bar esperando quem saber uma outra noite a³.

Sobre este texto

rogerrogerio

Autor:

Publicação:26 de abril de 2018 00:31

Gênero literário:Depoimento erótico

Tema ou assunto:Concurso Literário

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 26/04/2018.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*